Vitamina C – Mitos e Verdades

Foi exibido no fantástico no dia 15 de junho, 2008, uma matéria no qual abordou mitos e verdades sobre a relação entre medicamentos e alimentos relacionados a gripe e resfriado. Achei interessante postar aqui já que é uma dúvida comum entre muitas pessoas.

A crença de que a vitamina C reduz os riscos de pegar resfriado é um mito, concluiu um grupo de pesquisadores depois de realizar uma série de experiências com mais de 11 mil pessoas. Ao que parece, só há uma circunstância em que a vitamina C ajuda – é preciso que seu consumidor seja um atleta ou algo perto disso. Para a maioria das pessoas, o benefício é tão mínimo que não compensa a despesa. Toda a investigação metodologicamente conduzida com vitamina C para evitar a gripe ou aliviar sua virulência apresentou resultados negativos. (Fonte: G1, Jornal Hoje, Dr. Dráuzio Varella)

Deficiência de Vitamina C

A vitamina C (ácido ascórbico) é encontrada em frutas cítricas, batatas, repolho e pimentas verdes. Essa vitamina é essencial para a formação do tecido conjuntivo (o tecido que mantém unidas as estruturas do corpo). Ela ajuda o organismo a absorver o ferro e na recuperação de queimaduras e ferimentos. Assim como a vitamina E, a vitamina C é antioxidante. A gravidez, a amamentação, a tireotoxicose (hiperatividade da tireóide), vários tipos de inflamação, as cirurgias e as queimaduras podem aumentar significativamente a demanda de vitamina C pelo organismo e o risco de uma deficiência. Nos lactentes, entre os 6 e 12 meses de vida, a carência de vitamina C na alimentação pode causar o escorbuto, um tipo de doença carencial. Os sintomas iniciais incluem a irritabilidade, a dor durante os movimentos, a perda de apetite e a incapacidade de ganhar peso.

Os ossos tornam- se finos e as articulações podem tornar-se proeminentes. São típicas as hemorragias sob o periósteo (tecido que recobre os ossos ) e ao redor dos dentes. Nos adultos, o escorbuto pode ocorrer quando a dieta é restrita, contendo somente carne seca e farinha ou chá, torradas e vegetais enlatados (alimentos típicos consumidos por indivíduos idosos que não se interessam pela alimentação).

Após alguns meses desse tipo de dieta, o indivíduo apresenta hemorragia subcutânea, sobretudo em torno dos folículos pilosos, subungueais, ao redor das gengivas e intra-articulares. O indivíduo pode apresentar depressão, cansaço e fraqueza. A pressão arterial e a freqüência cardíaca oscilam. Os resultados dos exames de sangue revelam uma concentração muito baixa de vitamina C. Nos lactentes e nos adultos, o escorbuto é tratado com doses elevadas de vitamina C durante uma semana, seguidas por doses mais baixas durante 1 mês.

Excesso de Vitamina C

As doses elevadas de vitamina C (500 a 10.000 miligramas) têm sido recomendadas por alguns para prevenir o resfriado comum, a esquizofrenia, o câncer, a hipercolesterolemia e a aterosclerose. No entanto, essas recomendações têm pouca ou nenhuma base científica. As doses superiores a 1.000 miligramas por dia causam diarréia, litíase renal (nos indivíduos susceptíveis) e alterações do ciclo menstrual. Alguns indivíduos que interrompem abruptamente o consumo de doses altas apresentam o escorbuto de rebote.

Anúncios

Post Author: Website: nutricaosadia.com

Dr. Vinícius Graton é Nutricionista atuante na Nutrição Clínica & Nutrição Esportiva. Em Uberlândia/MG atende na Clínica Renova - Rua Bernardo Guimarães 417 - Bairro Fundinho. Contato (34) 3255-1237 ou 3231-8655. Para Assessoria Online envie WhatsApp (34)98407-3617

Deixe uma resposta