Três óleos vegetais apresentam nível alto de gordura

A informação “livre de gordura trans” pode enganar o consumidor. A entidade de defesa do consumidor Pro Teste analisou 21 marcas de óleos vegetais, tidos como mais saudáveis que os óleos de origem animal, e viu que três tinham níveis consideráveis da gordura.

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), a gordura trans não pode representar mais do que 2% das gorduras totais. A Pro Teste encontrou 4,62% no óleo de canola Sinhá, 3,05% no de girassol Camil e 2,07% no de milho Granfino.

A Camil disse que solicitou esclarecimentos ao fornecedor, na Argentina, e que “suspendeu preventivamente” as compras do produto. A Granfino respondeu que seus produtos já estão “em níveis melhores do que os do lote avaliado”. A Sinhá afirmou que não teria tempo para formular uma resposta.

Pelas normas, o alimento pode se promover como livre de gordura trans se não contiver, numa porção de 100 gramas, mais que 0,2 grama dessa gordura. A OMS alerta que o consumo dessa gordura não pode passar de dois gramas por dia.

Anúncios

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: