Reduza os carboidratos refinados!

Reduzir os carboidratos é outra maneira simples de melhorar a qualidade de sua alimentação e intensificar ainda mais a perda de peso.

É especialmente benéfico diminuir a ingestão de carboidratos refinados , que são um tipo de carboidrato sem o conteúdo de nutrientes e fibras durante o processamento.

Não são apenas carboidratos refinados ricos em calorias e pobres em nutrientes, eles são absorvidos rapidamente em sua corrente sanguínea, causando picos de açúcar no sangue e aumento da fome ( 4 ).

Estudos mostram que uma dieta rica em grãos refinados está associada a um maior peso corporal do que uma alimentação rica em grãos integrais nutritivos ( 5 ).

Agende sua consulta comigo via WhatsApp, clique aqui!

Um grande estudo em 2.834 pessoas também descobriu que as pessoas que comiam grãos mais refinados tinham em média mais gordura da barriga do que aquelas que comiam mais grãos integrais ( 6 ).

Para obter melhores resultados, troque carboidratos refinados como pão branco, cereais matinais e alimentos pré-embalados altamente processados ​​para produtos integrais como quinoa, aveia, arroz integral e cevada.

Sopas com menos de 100 calorias

Sopa de Legumes

Calorias: 56 kcal
Rendimento: 1 porção

Ingredientes:
– 1 batata pequena
– 1 cenoura
– 3 colheres (sopa) de repolho picado
– 2 colheres (café) azeite ou óleo
– 1 pitada de sal

Preparo:
Cozinhe os vegetais em 200ml (um copo) de água. Bata tudo no liquidificador.

Sopa Cremosa de Palmito

Calorias por porção: 62 kcal (1 concha média)
Rendimento: 6 porções
Tempo de preparo: 30 minutos

Ingredientes:
– 250g de palmitos em conserva
– 1 colher (sopa) de margarina light
– 1 cebola média ralada
– 1 dente de alho amassado
– 2 colheres (sopa) de farinha de trigo
– 3 xícaras (chá) de caldo de galinha
– 1 xícara (chá) de leite desnatado
– sal e pimenta a gosto
– cubinhos de pão torrado
– pedaços de palmito para servir

Preparo:
Aqueça a margarina light, refogue o alho, a cebola e junte os palmitos. Cozinhe por 3 minutos. Acrescente a farinha de trigo, mexendo bem. Lentamente, junte o caldo de galinha, sempre mexendo. Deixe levantar fervura e cozinhe por 10 minutos. Deixe a mistura amornar e bata no liquidificador. Junte o sal, a pimenta (opcional) e o leite . Deixe ferver por 5 minutos. Coloque em uma sopeira, sirva com cubinhos de pão torrado e pedacinhos de palmito.

Sopa de Tomate com manjericão

Calorias por porção: 50 kcal (1 concha média)
Rendimento: 4 porções
Tempo de preparo: 20 minutos

Ingredientes:
– 1 colher (sopa) de margarina light
– 1 cebola média picada
– 2 dentes de alho picados
– 500g de tomate sem pele e sem sementes maduros, picados
– 4 xícaras de (chá) de caldo de legumes
– 2 colheres de (sopa) de manjericão picado (pode ser desidratado)

Preparo:
Aqueça a margarina light em uma panela média, junte a cebola e o alho e refogue até que fiquem levemente dourados. Acrescente o tomate picado, o caldo de legumes e deixe ferver. Cozinhe com a panela tampada por cerca de 10 minutos. Acrescente o manjericão e bata no liquidificador até obter um creme homogêneo. Após isso é só servir.

Creme de Agrião

Calorias por porção: 95 kcal
Rendimento: 4 porções
Tempo de preparo: 30 minutos

Ingredientes:
– 2 colheres (sopa) de margarina
– 1 cebola pequena picada
– 3 xícaras (chá) de agrião limpo (folhas e talos)
– 2 batatas sem casca picadas em cubinhos
– 3 xícaras (chá) de caldo de legumes
– 3 colheres (sopa) de creme de leite light
– ½ copo (125ml) de leite desnatado
– sal a gosto

Preparo:
Aqueça a margarina, refogue a cebola e as folhas e talos mais tenros do agrião. Quando começar a amolecer, acrescente as batatas e o caldo de legumes e cozinhe por 20 minutos, aproximadamente. Retire da panela e bata tudo no liquidificador. Volte o caldo batido à panela e misture o creme de leite, mexendo sempre. Tempere com sal, aqueça bem e sirva em seguida.

Sopa de Beterraba

Calorias por porção: 70 kcal
Rendimento: 6 porções
Tempo de preparo: 25 minutos

Ingredientes:
– 1 colher (sopa) de óleo
– 1 cebola média picada
– 3 beterrabas, sem casca, picadas (500g)
– 1 litro ½ de água
– 2 colheres (sopa) de suco de limão
– 1 colher (chá) de açúcar
– 1 tablete de caldo de legumes
– ½ colher de (sopa) de amido de milho
– Sal a gosto

Preparo:
Em uma panela de pressão grande, coloque o óleo e leve ao fogo alto para aquecer. Junte a cebola e refogue por 4 minutos, ou até ficar transparente. Acrescente a beterraba, a água, o suco de limão, o açúcar e o caldo de legumes por 15 minutos, após o início da fervura. Transfira para o copo do liquidificador e bata até que fique homogêneo. Volte ao fogo alto e adicione o amido de milho já dissolvido em meia colher (sopa) de água, e cozinhe, mexendo sempre, por 1 minuto, ou até encorpar e acrescente o sal a gosto. Sirva em seguida.

Sopa de Iogurte com Pepino

Calorias: 55 Kcal
Rendimento: 4 porções

Ingredientes:
– 1 pepino grande
– 1 cebola pequena picada
– 1 colher (sopa) de azeite de oliva
– 1 ½ tablete de caldo de galinha dissolvido em 2 ½ xícaras (chá) de água quente
– 1limão (cascada ralada e suco)
– 1 ramo de hortelã fresca picado
– 1/2 xícara (chá) de iogurte natural desnatado
– sal e pimenta a gosto
– folhas de hortelã para enfeitar

Preparo:
Reserve uma ponta do pepino com mais ou menos 4 cm para enfeitar e pique o restante. Em uma panela, refogue a cebola no azeite até que fique macia. Junte o pepino picado, o caldo de galinha, a casca e o suco do limão e a hortelã. Deixe levantar fervura e depois, cozinhe tampado por cerca de 20 minutos. Passe a mistura por um processador ou bata no liquidificador e reserve até resfriar. Tempere com sal e pimenta. Enfeite com hortelã e fatias finas de pepino.

ACOMPANHAMENTO NUTRICIONAL EM UBERLÂNDIA LIGUE (34) 3255-1237 OU 3231-8655 > DR. VINÍCIUS GRATON – NUTRIÇÃO CLÍNICA & ESPORTIVA.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Comer de três em três horas ajuda a perder peso?

Mito! Esta afirmação já foi por água abaixo e ainda muitos continuam acreditando.

Essa prática, na verdade, não colabora para o emagrecimento e nem acelera o metabolismo. É um grande mito, pois, segundo pesquisa publicada pela Associação Médica Americana, como cada refeição, em média, adiciona 180 calorias ao consumo diário, o aumento de vezes que a pessoa se alimenta faz com que ingira mais calorias no total, o que leva ao ganho de peso. Outro ponto importante de se levantar seria o tempo que o organismo levaria para digerir cada alimento, variando consideravelmente conforme as refeições, impossibilitando a padronização de intervalos entre refeições.

A quantidade de refeições por dia deve ser diferente para cada um.

NEM TODAS AS DIETAS FAZEM BEM À SAÚDE!

Você já parou para pensar que nem todas as dietas podem fazer bem à sua saúde?Equivocadamente, algumas orientam as pessoas a parar de consumir alimentos importantes ao organismo. À longo prazo, essas “dietas” colocam a sua saúde em risco!

É possível ter saúde e qualidade de vida sem abrir mão do prazer de uma comida saborosa. Fazer dieta não significa passar fome, mas comer de maneira controlada, em pequenas quantidades, respeitando os intervalos e mastigando bem os alimentos. É possível ter saúde e qualidade de vida sem abrir mão do prazer de uma comida saborosa.

Como disse, dietas malucas existem, algumas orientam as pessoas a pararem de consumir alimentos importantes ao organismo, como carboidratos, vitaminas, cálcio, ferro, fibras e até gorduras. À longo prazo, essas dietas colocam a saúde em risco! Vemos em pessoas com inanição alimentar apresentarem tremores, dores de cabeça contínua, perda de massa muscular, cabelos quebradiços, unhas enfraquecidas, pele ressecada, cansaço e tonturas, e quase nunca imagem que estes são sim sinais de uma carência nutricional.

132062937

Uma dieta errada, feita sem acompanhamento de um especialista, pode causar o efeito inverso: o ganho de peso ao invés da perda. No final da dieta, devido à exclusão de alguns alimentos e a consequente inanição, o metabolismo pode cair, levando ao aumento do peso. Muitas vezes, a pessoa com metabolismo mais lento interrompe a dieta subitamente e volta a comer de maneira exagerada e de tudo, gerando o efeito ‘sanfona’ e ganhando até mais peso do que antes.

É importante saber os perigos das dietas antes de se iniciar uma. O problema é que as pessoas aderem facilmente a receitas encontradas na internet e em revistas populares, sem quase nenhum conteúdo científico. Sendo que nem sempre são tão eficazes quanto prometem. Antes de abdicar de alguns alimentos, é importante buscar a orientação de um profissional. Sempre é bom ter acompanhamento nutricional/médico para a realização de dietas restritivas para perda de peso, para não correr riscos nutricionais e para não atrapalhar seu metabolismo.

É preciso cuidado com “dietas mirabolantes” que prometem grande perda de peso em pouco tempo. Sempre se deve ficar atento a promessas ‘milagrosas’, como perda de cinco quilos por semana, dietas baseadas somente em shakes ou que eliminam algum grupo alimentar ou dieta recomendada sem nenhum embasamento científico.

A boa e velha reeducação alimentar, ainda é o melhor caminho. Com a qual se reaprende a comer de tudo um pouco, selecionando os alimentos e levando em conta o valor nutritivo de cada um deles, incorporando à dieta do dia a dia carboidratos integrais, frutas, verduras, legumes, proteínas e também gorduras em quantidade correta. É a melhor maneira de perder peso com saúde. Siga as orientações de seu especialista! Para ter um plano alimentar personalizado e individualizado, agende uma avaliação com um profissional da área – clique aqui!

 

 

 

ANTES – DEPOIS – DEPOIS DO DEPOIS

Perfeito! Pense e veja as estatísticas onde imensa maioria dos que utilizam drogas para emagrecer, acabam engordando mais ainda depois. . • O problema é que ninguém engorda de músculos não é mesmo? Ou seja, quando você emagrece com drogas geralmente perde todo tipo de tecido inclusive músculos que pesam mais do que gorduras e causam maior impacto na balança. Entretanto quando você volta a ganhar peso, ganha unicamente gordura e assim inicia uma verdadeira “bola de neve” sem fim… . O segredo está em se ajustar metabolismos e hábitos de vida, não simplesmente ingerir uma droga que tira seu apetite. Não se iluda com dietas, modifique seu estilo de alimentação 👊🏻👊🏻 • #segredosparaumavidalonga

Instagram: @drvictorsorrentino12230872_1685695984986491_273203351_n

DIETA HCG

A #SBEM e a #ABESO emitiram semana passada um posicionamento em conjunto sobre o uso do HCG para tratamento da obesidade.

Segundo tais entidades, não há evidências científicas para que essa opção seja adotada, sendo potencialmente perigoso! ⁉️A “dieta #HCG” ganhou popularidade na década de 50, quando um médico chamado Albert Simeons iniciou um protocolo de emagrecimento baseado na combinação de injeções diárias de um hormônio chamado Gonadotrofina Coriônica Humana (HCG) com uma dieta extremamente restrita, de 500 Kcal.

O HCG é um hormônio produzido na gravidez pelas células que formam a placenta e uma de suas funções é sinalizar o hipotálamo para mobilizar reservas de energia para a placenta. A ideia de sua utilização é que, com uma dieta restrita, as injeções teriam a capacidade de redistribuir gordura em regiões difíceis de serem eliminadas, tais como quadris, coxas e abdômen, sem causar fome ou irritabilidade. Parece mágica! 📚No entanto, a realidade é bem diferente! Segundo uma revisão publicada por Goodbar et al. (2013), “não existe evidência comprovando que o HCG reduz fome, altera a distribuição do tecido adiposo ou é mais efetiva que uma dieta de restrição calórica isolada”. Aliás, a utilização de HCG para emagrecimento não é aprovada pelo FDA (órgão regulador americano) e nem aceita pela comunidade médica, tanto que em 1976 os médicos que utilizavam tal procedimento foram obrigados a solicitar que seus pacientes assinassem um termo afirmando terem conhecimento que estavam injetando uma substância não aprovada pelo FDA e que tampouco tinha evidências de efetividade.

📚Segundo essa revisão, numerosos efeitos colaterais podem ocorrer com a utilização do HCG, sendo os principais: Dor de cabeça, alteração do humor, depressão, hipercoagulação sanguínea, síndrome da hiperestimulação ovariana, alteração de enzimas hepáticas, hipotensão, hipoglicemia, constipação etc. Ainda concluíram que o HCG não é efetivo para o emagrecimento, sendo que o fator que leva à perda de peso é a intensa restrição calórica a que os pacientes são submetidos, levando os pacientes a perderem sim um volume extremamente significativo de massa muscular.

🚫🚫🚫Em resumo: NÃO FUNCIONA E AINDA É PERIGOSO! SE PERDE MASSA MUSCULAR, AUMENTA A FLACIDEZ, BAIXA A IMUNIDADE, ETC.!

20011_975378385816528_7578983808375412366_n

QUANTO CUSTA QUEIMAR AS CALORIAS DESTES ALIMENTOS?

Muitos acreditam que, depois de suar na malhação, ganham licença para se dar ao capricho de fazer um lanchinho. Mas, na prática, as contas não são tão fáceis: é muito fácil superestimar quantas calorias queimamos em uma sessão e subestimar as calorias que um lanche tem. O resultado é que muita gente (cerca de 68%, de acordo com um estudo coordenado por um pesquisador da Universidade Estadual do Arizona) que quer perder peso fazendo exercício, na realidade, acaba ganhando uns quilinhos a mais. Recorremos então à tabela da Escola de Medicina de Harvard, que mostra quantas calorias se queimam em cada tipo de atividade, desde sexo até ciclismo de longa distância.

Com essa informação, comparamos exatamente quanto custa queimar seus lanchinhos preferidos. Mas atenção: os dados exatos variam de pessoa para pessoa. Os dados abaixo se referem a uma pessoa de 70 quilos. Comparado ao ato de dormir, em que também se queimam calorias, até atividades simples como sentar-se em frente ao computador, mascar chiclete ou ler um livro são equivalente a comer alguns modestos snacks. Você pode se surpreender ao saber que poucas calorias se queimam durante atividades aparentemente energéticas como sexo, ou quantos quilômetros têm que correr para queimar um hambúrguer com batata frita.

O exercício oferece muitos benefícios além da perda de peso, obviamente. Mas, se você quer manter a forma, é bom conhecer os fatos antes de ir à academia ou atacar a despensa.

151102155518_calorias_2_624x351_._nocredit 151102155706_calorias_1_624x351_._nocredit 151102155823_calorias3_624x351_._nocredit 151102160036_calorias4_624x351_._nocredit 151102160133_calorias5_624x351_._nocredit 151102160246_calorias6_624x351_._nocredit 151102161941_calorias7_624x351_._nocredit 151102162042_calorias8_624x351_._nocredit

Como melhorar e acelerar o metabolismo naturalmente?

Podemos resumir o grau de seu metabolismo a partir do número de calorias que ele gasta durante o dia. O corpo humano necessita de “queimar” as calorias para manter-se vivo, para realizarmos tarefas básicas do dia-a-dia e para as atividades físicas fundamentais para a promoção da saúde. Pessoas com um menor percentual de gordura corporal têm um metabolismo mais elevado do que outros que são menos musculosos, isso porque o músculo utiliza mais caloria para manter-se ativo, se compararmos à gordura.

A avaliação nutricional torna-se fundamental ao nutricionista, uma vez que este através do exame de bioimpedância consegue saber exatamente a quantidade de massa muscular e de gordura que seu corpo possui. É importante lembrarmos que algumas pessoas possuem uma taxa metabólica reduzida (devido à baixa concentração de massa muscular), tendo assim maior dificuldade em permanecer-se magra. Um metabolismo lento na verdade faz com que armazenemos gordura, uma vez que venhamos a consumir uma quantidade de alimentos acima da necessária para suprir nossas necessidades metabólicas.

O primeiro passo para quem busca emagrecer é procurar um nutricionista. Este poderá além de elaborar seu plano alimentar, esclarecer todas as suas dúvidas. Fracionar as refeições definidas pelo nutricionista de acordo com seus hábitos de vida é fundamental para iniciarmos essa nova etapa. Deixar o sedentarismo de lado e buscar uma atividade física que nos agrade, desenvolvendo assim mais massa muscular e realizando a manutenção daquela que já possuíamos. O consumo de alimentos ricos em açúcar em jejum se torna totalmente prejudicial para o metabolismo, assim como o consumo de álcool exageradamente mesmo que esporadicamente. A hidratação correta e o consumo de alimentos com valores nutricionais de alta biodisponibilidade de todos os nutrientes são fundamentais para o metabolismo.

Não seja enganada – Suplementos que prometem milagres agridem sua saúde!

Se atente aos produtos disponíveis no mercado que prometem acelerar o metabolismo “sem esforço”. Eles não proporcionaram nenhuma melhora na qualidade de vida a longo prazo, podendo trazer sim grandes complicações para sua saúde em um futuro bem próximo. Os suplementos devem ser orientados e prescritos somente por médicos especializados e jamais por educadores físicos (bastante comum em academias). O nutricionista e o médico são os únicos profissionais capacitados à orientarem e prescreverem quais os suplementos melhor atenderão às suas necessidades individuais.

Deixo maiores esclarecimentos aos que buscam pelo atendimento do nutricionista.

Texto: Dr. Vinícius Graton Costa – Nutricionista.
Em Uberlândia/MG – Agende sua consulta: (34) 3255.1237 – 3231.8655 – 3237.4430

Vamos repensar sobre sua Geladeira?

O primeiro passo para quem busca se reeducar nutricionalmente é reorganizar a geladeira. Isso mesmo, a maneira como você posiciona seus alimentos irá influenciar em muito na forma como você se alimenta.

Na plataforma ao nível dos olhos, é preferível que você posicione as frutas, verduras e outros lanches nutritivos. Para as frutas que serão consumidas brevemente, você pode posicioná-las na cesta de frutas em um local da cozinha onde exista grande passagem de pessoas. Sempre aos olhos de quem entra na cozinha.

Um dado interessante: Você está 2,7 vezes mais propenso a comer alimentos saudáveis quando estes estão na sua linha de visão, segundo um estudo da Universidade de Cornell, publicado pelo professor Ph.D de psicologia e marketing Kit Yarrow.

Ao invés de ir ao supermercado e realizar a compra do mês, ou a compra da semana, é preferível que você vá ao supermercado mais vezes e compre cada vez menos. Uma sobrecarga de escolhas na hora da compra dos alimentos para casa pode esgotar sua força de vontade em buscar alimentos mais saudáveis. Outro dado favorávei é que as pessoas tendem a reduzir o consumo de alimentos quando os recursos estão mais escassos.

Para você que adora salgadinhos, certifique-se sempre de buscar os mais nutritivos e menos calóricos. Ao estocar estes alimentos, busque coloca-los longe do alcance de sua visão, como por exemplo no fundo da despensa.

Com relação ao armazenamento dos alimentos de vida útil mais curta (leite, carne, peixes e ovos), procure armazená-los no fundo das prateleiras, onde ocorre a saída do ar refrigerado, desta maneira além de manter a temperatura mais controlada, você ainda evita o jato de ar quente a cada vez que você abrir a porta.

Limpe sua geladeira pelo menos uma vez por semana com uma desinfecção com um pano limpo embebido em uma solução de sabão, agua e um pouco de lixívia.

Texto: Vinícius Graton – nutricionista.
nutricaosadia@yahoo.com.br

Adolescentes usam amigas como padrão na hora de emagrecer

Nada de revistas de moda e celebridade. Um estudo publicado no periódico Journal of Health and Social Behavior aponta que as jovens adolescentes tendem a comparar o próprio corpo com o de suas colegas na escola e, dependendo da companhia, estar acima do peso pode ser algo absolutamente normal.

“Nosso estudo indica que os comportamentos para controle do próprio peso são mais complicados do que normalmente se tem ideia”, diz Anna Mueller, pesquisadora da Universidade do Texas, EUA, e autora principal do estudo. “Dependendo do ambiente escolar, ser magra ou perder peso pode não ser importante. Mas é bom observar que nem todas as garotas respondem da mesma maneira a esses fatores ambientais.”

Os pesquisadores usaram dados coletados em um estudo longitudinal – amplo e com longa duração de tempo, reincidindo as mesmas questões durante os anos da pesquisa – feito com mais de 4 mil adolescentes dos últimos anos do ensino fundamental e médio, e constataram que uma boa parte das adolescentes seguia a tendência da maioria em seus ambientes escolares. Quanto maior a média de peso das colegas, menor a tendência dessas meninas em achar que precisavam de dieta. E o inverso também foi observado, ou seja, médias de peso menores levavam a mais adolescentes procurando por dietas que as fizessem perder peso.
“As meninas estão mais atentas ao que as outras garotas como elas estão fazendo”, diz Mueller. Jeanie Alter, da Universidade de Indiana, e avaliadora do estudo concorda.

“Não é surpresa que as adolescentes estejam sendo influenciadas pelos comportamentos de suas colegas, seja uma influência percebida ou real”, aponta Alter. “Isso já foi observado no caso de comportamentos de risco e abuso de drogas. A percepção sobre ‘o que todos estão fazendo’ é um elemento motivacional poderoso.”

Para os pesquisadores, os resultados indicam que as estratégias de intervenção no ambiente escolar podem ser uma ótima oportunidade para educar as adolescentes sobre imagem corporal e comportamentos saudáveis.
.
com informações do Health Behavior News Service
http://oqueeutenho.uol.com.br/

Manter diário com o que come faz você perder o dobro do peso

Por Cristina Almeida
Para o UOL Ciência e Saúde

Todo mundo sabe que diminuir o consumo de calorias e praticar atividade física realmente funciona quando o objetivo é perder peso. Mas manter um diário registrando o que se come pode fazer toda a diferença. Uma recente pesquisa publicada pelo American Journal of Preventive Medicine concluiu que essa ferramenta é uma das medidas mais importantes para quem deseja emagrecer. De acordo com os dados do estudo realizado pelo Kaiser Permanente’s Center for Health Research, quanto maior for a disposição para escrever detalhadamente o que se comeu a cada dia, maior será a quantidade dos quilos a menos. “Nosso trabalho mostrou que quem usa essa técnica pode perder o dobro do peso em relação às pessoas que não usam um diário. Parece que o simples ato de escrever encoraja a diminuir o consumo de calorias”, afirma Jack Hollis, um dos idealizadores da pesquisa e professor de Saúde Pública e Medicina Preventiva da Universidade de Oregon (EUA).

Outro colaborador do estudo, Keith Bachman, médico especializado em medicina interna, diz que embora a ideia possa representar mais um dever a ser cumprido no plano de emagrecimento do paciente, a providência não precisa se tornar algo formal. “Anotar o que se comeu em um post-it, mandar para si mesmo e-mails contando sobre cada refeição, e até enviar uma mensagem de texto funciona. É o processo de reflexão sobre o que nós comemos que mantém nossos hábitos sob controle, e traz a esperança para a mudança de comportamento”, ensina o especialista.

Como, logo engordo

De acordo com a nutricionista funcional Patrícia Davidson, uma das frases mais comuns entre os obesos é dizer que não comem nada e, por isso, não entendem porque engordam. “O diário documenta a razão porque a gordura que incomoda tanto se instalou. E não foi por causa de uma dieta à base de alface”, brinca. “As pessoas não têm noção do que comem, não enxergam as quantidades que consomem, nem o prejuízo de atender àquela vontade de comer qualquer coisa”. “O açúcar usado nos cinco cafés diários são desprezados, a gordura do pequeno doce escolhido para a sobremesa também. Sem falar dos alimentos diet e light que, por terem esse rótulo, convidam ao exagero durante todo o dia”. Segundo a especialista, esses atos, que a maioria julga inofensivos, contribuem para que o peso vá aumentado pouco a pouco a cada mês. “As pessoas só caem em si quando a roupa que usou há seis meses não fecha mais. Para quem consegue manter o diário, conscientizar-se disso leva a ótimos resultados”, conclui a especialista.

Enfrentando a realidade

Na prática, o diário auxilia os profissionais de saúde a monitorar seus pacientes, antes e durante o tratamento, especialmente se eles seguem as orientações médicas. Davidson comenta que ao aceitar o uso do diário, o paciente tem que ser avisado de que eventuais omissões podem prejudicar o tratamento. “Entretanto, o profissional que usa esse tipo de estratégia sabe quando alguma coisa não está encaixando”, diz. Segundo a endocrinologista Rosana Radominski, professora de Universidade Federal do Paraná (UFPR), e presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica (ABESO), as anotações estão relacionadas à realidade do paciente. Mas seu sucesso dependerá de sua percepção quanto à importância desse tipo de tarefa. “Muitas vezes o indivíduo omite a ingestão de determinados alimentos, principalmente doces, beliscadinhas, uso de bebidas alcoólicas etc.”

Se a resistência em relatar a verdade persiste, a intervenção de um psicoterapeuta pode ser essencial para o entendimento e enfrentamento do problema. Como a comida pode ser objeto de compensação para frustrações, ansiedades e questões que incomodam afetivamente, identificar a dinâmica que faz prevalecer a compulsão em detrimento da dieta contribui para que o paciente deixe de ser refém dos impulsos. “A prática de escrever permite que a pessoa se reconheça, se perceba e visualize objetivamente as próprias dificuldades. E o processo a estimula a prestar mais atenção no que está acontecendo em sua vida”, explica a psicanalista Nilda Jock. “Nos distúrbios alimentares são comuns altos níveis de ansiedade ligados à forte necessidade de aprovação e aceitação. Olhar para si é o primeiro passo para construir uma auto-estima baseada em atitudes mais saudáveis.”, declara.

Beber Moderadamente

WASHINGTON – Um estudo realizado nos Estados Unidos sugere que mulheres com peso normal que bebem moderadamente ganham menos peso e correm menos risco de ficarem obesas do que as que não bebem.

A pesquisa, publicada na edição desta semana da revista científica Archives of Internal Medicine, analisou cerca de 19 mil mulheres acima dos 39 anos, com peso considerado normal (índice de massa corporal entre 18.5 e 25) , por um período médio de 13 anos.

No primeiro questionário aplicado na pesquisa as participantes relataram o consumo diário de bebidas alcoólicas. Cerca de 38% (7,3 mil) afirmaram que não bebiam álcool, enquanto quase 6% afirmaram que bebiam moderadamente, ou seja, duas taças de 150 ml de vinho por dia, e cerca de 3% bebia mais do que isso, cerca de 30 gramas de álcool por dia.

Ganho de peso

Durante o período da pesquisa, as mulheres ganharam peso progressivamente. Mas os resultados mostraram que aquelas que não consumiam bebidas alcoólicas engordaram mais e que houve uma relação inversa entre o ganho de peso e o consumo de álcool.

Segundo os responsáveis pelo estudo do Brigham and Women’s Hospital, de Boston, mesmo considerando fatores como a dieta, o fumo e a prática de exercícios, o estudo sugere que as mulheres que bebiam menos ganharam mais peso.

Segundo os cientistas, as mulheres que consumiam álcool parecem substituir outras comidas pela bebida, fazendo com que o consumo de caloria não fosse tão elevado.

De acordo com os resultados, as mulheres que bebiam moderadamente (entre 15 e 30 gramas de álcool por dia) foram as que ganharam menos peso e que ficaram no grupo de menor risco de obesidade – cerca de 30% menos risco do que as que não ingeriam nenhuma bebida alcoólica.

Os pesquisadores afirmam que os resultados estavam associados a quatro tipos de bebidas – vinho tinto, vinho branco, cerveja e licor. O estudo afirma ainda que a melhor relação entre peso e consumo de álcool se deu com as mulheres que ingeriam vinho tinto.

Recomendação

Apesar dos resultados, os cientistas afirmam que os benefícios e reações adversas do álcool em cada indivíduo deve ser analisado antes de recomendar o consumo.

“Serão necessárias mais pesquisas para elucidar o papel do consumo de álcool e o metabolismo da bebida no equilíbrio da energia e para identificar fatores comportamentais, psicológicos e genéticos que podem modificar os efeitos do álcool”, afirmam os pesquisadores, liderados por Lu Wang.

Segundo a nutricionista e porta-voz da Associação Dietética Britânica, Catherine Collins, é preciso ter cautela em concluir que beber pode ajudar a perder peso.

“Seria um erro pensar que consumir álcool vai ajudar a emagrecer”, disse.

“Sabemos que as calorias do álcool contam. Para aquelas que bebem demasiadamente, por exemplo, as bebidas tem um grande impacto no peso”.

A nutricionista alertou ainda que as mulheres que participaram do estudo tinham peso considerado normal no início da pesquisa e já teriam mais de 39 anos – idade na qual, segundo ela, já se ganhou peso e seria uma proeza estar na faixa de peso normal.

“Por isso, as descobertas sobre o ganho de peso nesse grupo não devem traduzir para outras mulheres”, afirmou. BBC Brasil – Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Como emagrecer após o parto?

Depois dos nove meses mais longos da vida de uma mulher, a satisfação em poder agora segurar o bebê e compartilhar com ele todas as suas experências como mãe. Separamos algumas dicas para você mamãe, que também se preocupa com o corpo e sua saúde. Ao seguir algumas dicas, logo o espelho volta a conhecê-la. É importante lembrar que não é recomendado para a mulher dietas com grandes restrições calórias após o parto, visando não prejudicar toda a oferta de nutrientes, como o cálcio, a vitamina D, assim como todos os micronutrientes e macronutrientes ao bebê. Afinal, o que toda mãe deseja é oferecer uma alimentação repleta de nutrientes benéficos para a imunidade de seu filho, por isso tome nota com minhas recomendações mamãe. É fundamental a ida ao nutricionista, este irá agora elaborar uma alimentação balanceada não somente para você, mas também visando a saúde do mais novo hóspede da casa! A elaboração de um cardápio deve ter a supervisão do nutricionista. Como a preocupação é, sobretudo, com a criança, seguir a orientação dos médicos favorece mãe e filho.

Uma maneira simples de perder peso e ainda estabelecer um laço de carinho e confiança entre mãe e filho? Amamentação. Isso mesmo! O ato de amamentar auxilia na redução de peso pós-parto, uma vez que, para produzir o leite humano, a mulher tem um gasto energético elevado: a cada litro são 900 calorias. Além do mais, os processos de produção e de liberação do leite estimulam as contrações uterinas, auxiliando o retorno ao tamanho original do órgão. O nutricionista deve fazer parte de toda a rotina de vida da paciente, afinal, não descuidar da alimentação faz toda a diferença. A alimentação deve ser equilibrada e variada, composta por frutas, verduras e legumes, além dos cereais (arroz, milho e trigo), das leguminosas (feijão, ervilha e soja), das carnes (de peixe, de frango e bovina) e dos laticínios. É importante que as refeições sejam bem distribuídas ao longo do dia, fracionadas em seis vezes, para que não haja grandes períodos sem alimentação. Ingerir bastante líquido e deixar de consumir alimentos com alta densidade calórica e baixa oferta de nutrientes – como doces, lanches vendidos em fast food, frituras, biscoitos recheados e refrigerantes – são atitudes importantes para prevenir o aumento de peso. É fundamental lembrar que o consumo de bebidas alcoólicas durante a amamentação deve ser evitado.

Praticar uma atividade física também deve ser estimulado para a mamãe, podendo também ser exercitada durante a gestação, para isso, procure antes mais orientações com seu pediatra. Já as pessoas sedentárias precisam esperar o restabelecimento do parto. O retorno pode ser feito, em média, após 20 dias. Para a redução de peso, a atividade mais recomendada é a aeróbica, como caminhar, andar de bicicleta, hidroginástica, correr ou nadar. Porém, o alongamento, a ioga e o relaxamento também são importantes para o período do puerpério. É possível ainda estabelecer o momento da atividade física como um prazeroso momento entre mãe e filho. Esses exercícios serão benéficos tanto para a parte física da mãe quanto para o seu estado emocional, uma vez que possibilitará o estreitamento dos laços com o seu filho”, salienta a fisioterapeuta. Portanto, para ficar em forma, alimente-se corretamente, amamente e faça exercícios físicos!

Vinícius Graton é nutricionista, pós-graduando em Nutrição Clínica.

Suplementos que emagrecem

Desvende os segredos dos comprimidos, cápsulas e saquetas que ajudam a perder peso. As fórmulas dos produtos para emagrecer têm como objectivos gastar as reservas de energia, dissipando-a em forma de calor, e queimar a gordura que está em excesso no organismo, impedindo que esta se acumule.

Mas será que garantem mesmo resultados positivos?

«Os suplementos para emagrecer são eficazes, com algumas reservas», afirma a nutricionista Alva Seixas Martins. «Para se obter resultados positivos, têm de ser adaptados à situação clínica de cada indivíduo, possuírem a dose certa das substâncias usadas e serem formulados de forma a serem absorvidos rapidamente pelo organismo», explica.

Para esta especialista, a razão pela qual a maior parte dos suplementos não funciona está associada ao facto dos rótulos nem sempre serem exactos. «O que acontece é que alguns laboratórios não usam as quantidades recomendadas para que as substâncias activas produzam efeito, por ser mais dispendioso», acrescenta.

Ingredientes-chave

A cafeína e as fibras são os princípios activos que melhores resultados têm demonstrado nos estudos científicos sobre estes produtos. «A primeira, se for usada correctamente, reduz o apetite e favorece a termogénese, enquanto as fibras solúveis promovem a saciedade, o que faz com que a pessoa não sinta necessidade de comer entre as refeições», revela Alva Seixas Martins.

O extracto de pinhão e o de chá verde também se têm revelado eficazes na luta contra a balança mas, de acordo com a nutricionista, são necessárias mais provas sobre a sua eficácia.

Duração do efeito

É durante o primeiro mês da ingestão dos suplementos para emagrecer que os resultados são mais positivos. «Têm um efeito de curta duração que deve ser aproveitado para motivar as pessoas no início de uma dieta», sublinha.

«Quando se vê resultados rápidos, mais vontade se tem de continuar os hábitos alimentares salutares e a prática de exercício físico, factores essenciais para a perda de peso», assegura. Deste modo, o período de transição para um estilo de vida saudável é facilitado.

Contra-indicações

Os suplementos estão apenas desaconselhados a grávidas, doentes crónicos, jovens e idosos. Deve contudo ter em atenção que «podem interferir com medicamentos que a pessoa esteja a tomar, ou seja, um pode anular o efeito do outro ou provocar intoxicações devido à presença excessiva de determinada substância no organismo», sublinha Alva Seixas Martins.

Daí que seja recomendável que a ingestão destes produtos seja feita sob acompanhamento médico. «Só assim se pode evitar essas interacções, bem como as intolerâncias, pois há quem recorra a estes suplementos sem verificar se é alérgico aos componente que os constituem», alerta a nutricionista.

Texto: Rita Caetano com Alva Seixas Martins (nutricionista)
http://mulher.sapo.pt/

Drunkorexia:o perigo mora no copo

Estimuladas pelo forte desejo de se manterem magras, mulheres de todo o mundo estão substituindo suas refeições pelo consumo do álcool. Saiba mais sobre esse transtorno alimentar que oferece vários riscos à saúde e compromete a beleza

Quem está acompanhando a novela global Viver a Vida já deve ter prestado atenção ao comportamento de Renata (Bárbara Paz). O sonho de se tornar famosa faz da moça uma verdadeira paranoica com a boa forma e a beleza. Sempre preocupada com a imagem, dificilmente ela aparece se alimentando. Seus companheiros fiéis são os drinks, que já a fizeram protagonizar situações pra lá de desagradáveis. E se engana quem pensa que casos assim existem apenas na ficção. Tal comportamento caracteriza um problema cada vez mais presente nos consultórios médicos: a drunkorexia (ou alcoolrexia, em português).

“Esses termos, que não existem na linguagem médica oficial, foram criados para denominar a combinação de alcoolismo e anorexia, distúrbio que faz com que a pessoa deixe de se alimentar, temendo o sobrepeso”, explica Silvia Brasiliano, psicóloga e coordenadora do Programa de Atenção à Mulher Dependente Química (Promud), do Hospital das Clínicas (SP).

Inimigo disfarçado

Para os especialistas, um dos motivos que favorece o surgimento desse tipo de transtorno é a ditadura da beleza, que impõe padrões estéticos totalmente incompatíveis com a realidade das pessoas. Sendo assim, mulheres com a autoestima mal estruturada – que se importam muito com a opinião alheia e buscam seus objetivos com radicalismo e urgência -, tornam-se alvos fáceis da alcoorexia. A questão que causa mais estranhamento é o motivo (dentre tantas opções, como dietas, medicamentos e atividades físicas) de elas escolherem se aliar ao álcool na busca pelo corpo perfeito. “As bebidas alcoólicas, especialmente os destilados, reduzem um pouco o apetite. Para muitas pessoas, causam até uma certa sensação de enjoo diante da comida”, afirma Celso Cukier, nutrólogo do Hospital e Maternidade São Camilo (SP). No entanto, essa não é a única justificativa. Há também quem faça o caminho inverso e deixe a comida de lado para poder desfrutar de alguns goles a mais. “Nesse caso, a paciente adota um sistema de compensação, substituindo as calorias das refeições pelas da bebida que vai ingerir. Assim, não estoura o limite calórico diário que determinou”, explica Silvia Brasiliano.

O álcool é armazenado pelo organismo na forma de gordura – que se concentra, principalmente, na região abdominal

Fica claro que, para essas pessoas, o álcool é tido como um aliado do emagrecimento, que pode facilitar (e muito) o processo. A favor dele, muitas pacientes relatam, ainda, que ficam mais calmas depois de algumas doses e, assim, não descontam a sua ansiedade na alimentação. Acontece, porém, que em todas as situações descritas, a fama de bommoço não passa de enganação. Além do risco de tornar-se um vício, o consumo de álcool não funciona no controle da compulsão alimentar decorrente da ansiedade. É verdade que, em um primeiro momento, ele pode até gerar uma sensação de conforto e relaxamento. Mas seu próximo passo é deixar a pessoa angustiada, com um enorme vazio dentro do peito. E muita gente ataca a geladeira para acabar com o mal-estar. Lembra da expressão “o feitiço vira-se contra o próprio feiticeiro”? É bem por aí.

Na contramão da beleza

Se de forma isolada o abuso do álcool e a anorexia já comprometem a saúde, imagine só quando combinados. Isso sem falar que, se o intuito é esbanjar mais beleza e bem-estar, privar o corpo de alimentação (abastecendo-o apenas com bebidas alcoólicas) representa um grande erro.

“O álcool oferece ao corpo um tipo de energia de baixa qualidade, muito similar à do carboidrato de alto índice glicêmico, que favorece o ganho de peso”, conta Celso Cukier. Trocando em miúdos, além de não fornecer o combustível necessário para o desempenho das atividades cotidianas, o álcool é armazenado em forma de gordura, especialmente na região abdominal. Mais uma vez ele mostra sua ineficácia na guerra contra a balança.

E os pontos negativos não param por aí. “Diante desse tipo de dieta, o organismo logo denuncia a carência de vitaminas e minerais essenciais para a realização de suas funções vitais. A pele também é prejudicada, pois perde a sua capacidade de renovação e cicatrização”, pondera o nutrólogo. Precisa de mais motivos? Então a gente pergunta: quem é que gosta de ficar próximo de alguém que espalha um odor desagradável no ambiente? Ninguém, em sã consciência, não é mesmo? Essa é outra razão para não extrapolar na bebida. O álcool atrapalha o funcionamento do sistema gástrico e, por isso, pode causar mau hálito. A transpiração também ganha um cheiro mais forte. Urgh!


Alerta vermelho!

De acordo com o psiquiatra e psicoterapeuta Marcelo Niel, colaborador do Programa de Orientação e Atendimento a Dependentes da Universidade Federal de São Paulo (Proadad), os portadores do distúrbio são, em sua maioria, mulheres solteiras, com idade entre 25 e 35 anos e perfil de alto nível sociocultural e de escolaridade. No entanto, pesquisadores canadenses levantaram que os primeiros sinais da drunkorexia costumam se manifestar ainda na adolescência, por volta dos 15 anos, quando se inicia a vida social de forma mais efetiva. “O problema é que essas pacientes só vão buscar ajuda depois de anos, quando a doença já está no auge”, comenta Silvia Brasiliano.

Tratamento

O tratamento deve atuar em duas frentes: a reeducação alimentar, feita com o auxílio de um nutricionista, para ajudar a paciente a adotar uma alimentação mais saudável, e que a leve a construir um corpo correspondente à sua estrutura; e o acompanhamento psicológico, que vai trabalhar a questão do vício e dos anseios que estimulam a adoção de atitudes tão prejudiciais. “O processo é lento, leva em média dois anos”, afirma Marcelo Niel.

Infelizmente, o comum é que as pessoas esperem vivenciar alguma situação social vexatória, como desmaiar em público ou vomitar, para só então procurar ajuda. “Se um amigo ou familiar diz que você está exagerando, é bem provável que esteja, mesmo. Para a mulher, a quantidade máxima considerada ideal é de 14 unidades de álcool por semana. Isso equivale, aproximadamente, a sete doses-padrão de destilados”, destaca Marcelo Niel. E já é bastante, não? Se puder escolher, vá de vinho tinto. Ele possui substâncias antioxidantes e seu consumo moderado favorece a saúde.

Elas já passaram por isso…
Clique na imagem ao lado para ampliá-la.

Controle: uma questão de vida
Já está comprovado que o consumo exagerado do álcool expõe o organismo a diversos males. As pesquisas mostram, ainda, que os estragos se desenvolvem mais rápido no corpo feminino. Além do câncer, conheça outros

O culto exagerado à beleza e as festas regadas a álcool fazem da vida das celebridades o cenário perfeito para a o desenvolvimento da alcoolrexia.

Ft: Corpo a Corpo – http://corpoacorpo.uol.com.br/nutricao-saude/251/dieta-drunkorexiao-perigo-mora-no-copo-155465-1.asp

Texto Adaptado/Fotografias GettyImage

Vinícius Graton
Proprietário e moderador do NutriçãoSadia. Nutricionista e Pós-Graduando se especializando em Nutrição Clínica pelo Centro Universitário do Triângulo. Disponibilizo-me p/ pesquisas/publicações de artigos científicos.

Fale Comigo! Envie suas dúvidas! Estou sempre disponível a tirar dúvidas desde que estas não substituam a necessidade de uma consulta particular. Me situo em Uberlândia/MG. Abraços a todos! Meu email: nutricaosadia@yahoo.com.br