Dr. Vinícius Graton - Complexo UMC / Rua Rafael Marino Neto, 600 - Karaiba, Uberlândia/MG

Uberlândia/MG

Ligue (34)3256-6300

Atendimento das 08:00 às 21:00 - De segunda a sábado

Procedimentos:

1 Consulta Inicial com 2 Avalições por Bioimpenciometria + 3 retornos

Para a sua comodidade e segurança:

Trabalhamos com todos os cartões.

Título

Autem vel eum iriure dolor in hendrerit in vulputate velit esse molestie consequat, vel illum dolore eu feugiat nulla facilisis at vero eros et dolore feugait

Pequi – Você conhece este fruto?

O pequizeiro é uma árvore nativa do cerrado brasileiro, cujo fruto, embora muito utilizado na cozinha nordestina, do centro-oeste e norte de Minas Gerais, é considerado tipicamente goiano.

Em geral, o pequi pode ser encontrado em toda a região Centro-Oeste e nos estados de Rondônia (ao leste), Minas Gerais (norte e oeste), Pará (sudoeste), Tocantins, Maranhão (extremo sul), Piauí (extremo sul), Bahia (oeste), Ceará (sul), e nos cerrados de São Paulo e Paraná. Em Goiás, podem ser encontradas todas as variedades, cuja frutificação ocorre entre os meses de setembro e fevereiro. Está na lista de espécies ameaçadas do estado de São Paulo.

O pequi pode ser consumido cozido, puro ou juntamente com arroz e/ou frango. Seu caroço é dotado de muitos espinhos, havendo necessidade de um maior cuidado ao roer o fruto para evitar ferimentos nas gengivas. Além do consumo da polpa e do caroço, o pequi também é utilizado na fabricação de óleo, de grande valor culinário, e licor. O sabor e o aroma dos frutos são muito marcantes e peculiares. Pode ser consumido tanto em natura quanto em conserva.

Sua composição é bastante rica em diversos nutrientes essenciais ao organismo. Tanto a polpa como a amêndoa do pequi possuem ácidos graxos importantes para compor uma dieta saudável. Em ambos, os lipídios são os constituintes predominantes, prevalecendo nestes os ácidos graxos oléico e palmítico, importantes para o metabolismo humano. Na polpa, também se detectam um teor elevado de fibra alimentar e a presença de compostos fenólicos e carotenóides totais, os quais estão associados à prevenção de processos oxidativos, conferindo ao pequi a ação antioxidante.

Cada 100 g do fruto tem, em média:

Energia
(kcal)

Proteína
(g)

Lipídios
(g)

Carboidratos
(g)

Fibras
(g)

Fósforo
(mg)

Potássio
(mg)

205

2,3

18,0

13,0

19,0

34,0

298,0

Referências: BRASIL. Ministério da Saúde. Alimentos regionais brasileiros. 1.ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2002, 140 p. – LIMA, A.; SILVA, A. M. O.; TRINDADE, R. A.; TORRES, R. P.; MANCINI-FILHO, J. Composição química e compostos bioativos presentes na polpa e na amêndoa do pequi (Caryocar brasiliense, Camb.). Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v. 29, n. 3, 2007. – NEPA – UNICAMP. Tabela brasileira de composição de alimentos. Campinas, SP: NEPA – UNICAMP, 2006. 133 p. – PHILIPPI, S. T. Nutrição e técnica dietética. Barueri, SP: Manole, 2006. 402 p. – http://www.nutricaoemfoco.com.br/pt-br/site.php?secao=alimentos-N-P&pub=3340

Anúncios
Website: nutricaosadia.com

Dr. Vinícius Graton é Nutricionista atuante na Nutrição Clínica & Nutrição Esportiva. Em Uberlândia/MG atende na Clínica Renova - Rua Bernardo Guimarães 417 - Bairro Fundinho. Contato (34) 3255-1237 ou 3231-8655. Para Assessoria Online envie WhatsApp (34)98407-3617

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: