Os pacientes portadores de HIV se beneficiam com a suplementação de micronutrientes?

Sim. Pacientes portadores de HIV (do inglês human immunodeficiency vírus) apresentam deficiências de micronutrientes, devido à ingestão alimentar insuficiente (causada pela anorexia, lesões orais, náuseas, vômitos, disfagia), pela absorção de nutrientes prejudicada pela interação com os medicamentos utilizados e pelas necessidades nutricionais aumentadas conseqüentes do hipermetabolismo da doença. Por isso, esses pacientes se beneficiam da suplementação de vitaminas e minerais.

Estas deficiências de micronutrientes são comprovadas em estudos clínicos. No estudo de Olaniyi e colaboradores, ao dosarem os níveis séricos de alguns micronutrientes, encontraram que comparados ao grupo controle, os pacientes com HIV apresentaram níveis mais baixos de vitamina E. Outros pesquisadores encontraram, em 25% da amostra estudada, níveis séricos de vitamina A abaixo dos valores recomendados. As perdas desta vitamina foram associadas à infecção e não estavam relacionadas com desnutrição.

Os micronutrientes são antioxidantes que atuam no combate ao estresse oxidativo. Esta é uma função importante nessa doença, pois as deficiências séricas de vitaminas e minerais tornam o sistema imune mais frágil, além de tornarem o doente mais suscetível às infecções oportunistas.

A influência da suplementação com micronutrientes nesses pacientes também é notada na literatura científica, tanto em adultos quanto em crianças. Fawzi e colaboradores suplementaram gestantes infectadas com vitamina A ou complexo multivitamínico contendo vitaminas B, C e E. As gestantes que receberam multivitamínico tiveram diminuição do risco relativo de morte da doença e diminuição da carga viral. Os autores concluíram que o suplemento multivitamínico atrasa a progressão da doença e pode retardar o início da terapia antiretroviral.

Outro estudo recomenda a suplementação de vitamina A em crianças infectadas pelo HIV, pois tem efeito protetor contra mortalidade e morbidade. Os pesquisadores desse trabalho encontraram baixos níveis de vitaminas A, C e E em crianças de 3 a 12 anos com HIV quando comparadas com crianças não infectadas e sugerem a suplementação destes micronutrientes.

Vale lembrar que as intervenções nutricionais, particularmente a suplementação vitamínica, têm sido utilizadas na prática clínica, porém deve ser feita de maneira individualizada.

Bibliografia (s)

Mehta S, Fawzi WW. Effects of vitamins, incluinding vitamin A, on HIV/AIDS patients. Vitam Horm. 2007;75:355-83.

Olaniyi JA, Arinola OG. Essential trace elements and antioxidant status in relation to severity of HIV in Nigerian patients. Med Princ Pract. 2007;16(6):420-5.

Silveira SA, Figueiredo JFC, Junior AJ, Unamuno MRD, Rodrigues MLV, Vannucchi H. Malnutrition and hypovitaminosis A in AIDS patients. Rev Bras Med Trop. 1999;32(2):11-6.

Fawzi WW, Msamanga GI, Spiegelman D, Wei R, Kapiga S, Villamor E, et al. A randomized trial of multivitamin supplements and HIV disease progression and mortality. N Engl Med. 2004;351(1):23-32.

Srinivas A, Dias BF. Antioxidants in HIV positive children. Indian J Pediatr. 2008;75(4):347-50.
NUTRITOTAL

Anúncios

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: