Dr. Vinícius Graton - Complexo UMC / Rua Rafael Marino Neto, 600 - Karaiba, Uberlândia/MG

Uberlândia/MG

Ligue (34)3256-6300

Atendimento das 08:00 às 21:00 - De segunda a sábado

Procedimentos:

1 Consulta Inicial com 2 Avalições por Bioimpenciometria + 3 retornos

Para a sua comodidade e segurança:

Trabalhamos com todos os cartões.

Título

Autem vel eum iriure dolor in hendrerit in vulputate velit esse molestie consequat, vel illum dolore eu feugiat nulla facilisis at vero eros et dolore feugait

Homocisteína: o colesterol do século 21

A homocisteína é um aminoácido e desde 1969 tem sido estudada a sua relação com as doenças cardiovasculares.

A descoberta foi feita por acaso pelo patologista americano Kilmer McCully e quando trabalhava na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, e estudava a homocistinúria, uma rara doença. Como não consegui provar a relevância deste estudo foi demitido. A situação atual é outra. A medida da homocisteína no sangue já é um exame de rotina, quando o assunto é a avaliação do estado de saúde. Depois de vários anos de estudos não há mais nenhuma dúvida: o elevado nível de homocisteína é um perigoso sinal para coração.

Os pesquisadores em homocisteína fazem um alerta: fumar mais de 20 cigarros por dia, beber mais de nove xícaras de café e ingerir muito álcool aumentariam as taxas do aminoácido.

Homocisteína e as doenças cardiovasculares

Elevada taxa de homocisteína está estreitamente relacionadas com o maior risco de doença cardiovascular, infarto e doenças vasculares periféricas. Pelo menos são estes os resultados dos estudos epidemiológicos publicados nos últimos cinco anos. Em um dele mostra que homens e mulheres com menos de 60 anos correm um risco duas vezes maior de desenvolverem doenças cardiovasculares quando o nível da homocisteína encontra-se elevado. O mais surpreendente que este risco independe de outros fatores, como o fumo e a hipertensão arterial.

Um outro estudo (1997) publicado pelo New England Journal of Medicine também mostrou a importância da homocisteína. Nele ficou evidente que a taxa de mortalidade dos pacientes após 4 a 5 anos do diagnóstico de doenças cardiovasculares é proporcional ao nível plasmática de homocisteína. O risco foi menos para os pacientes, cuja taxa de homocisteína era menor que 9 µmol/L e maior (25%) para aqueles com mais de 15 µmol/L.

Sabe porque a homocisteína é tão ou mais deletéria que o colesterol? Conheças as respostas:

1. Danifica as artérias.
2. Promove a formação de coágulos no sangue.
3. Entopem as artérias e as veias.

O ácido fólico e as vitaminas B6 e B12 afetam o nível da homocisteína

A taxa plasmática da homocisteína é determinada pelo tipo de alimentação e predisposição genética. No caso da alimentação, os altos níveis do ácido fólico e das vitaminas B6 e B12 ajudam a metabolizar e a reduzir os níveis da homocisteína .

E mais: o baixo nível de ácido fólico no sangue está estreitamente relacionado com um maior risco do aparecimento de doenças cardiovasculares.

Conselho: recomenda-se a suplementação do ácido fólico, em especial, para pessoas com história familiar de doenças cardiovasculares.

As vitaminas B6 e B12 também são outras promessas para o coração com mais saúde.

Recomendação do American Heart Association

A American Heart Association (AHA) o mais renomado centro de estudos em coração de todo o mundo, não recomenda uma suplementação indiscriminada de ácido fólico e vitamina B6 e B12 com o objetivo de reduzir o risco de doenças cardíacas e infarto.

A indicação da AHA:

1. Dieta equilibrada e rica em frutas e vegetais.
2. Dose de 400mcg/dia de ácido fólico para os adultos a partir de alimentos. Vale ressaltar que a dose normal é de 200 mcg/dia.
3. As boas fontes de ácido fólico: frutas cítricas, vegetais e grãos.

Teor de ácido fólico nos alimentos

Uma receita saudável para o coração

Elaboramos uma receita de salada com todos os ingredientes saudáveis para o seu coração. Com ela você tem todo o ácido fólico que precisa (430 mcg/por porção) .

Para completar ela tem os bons companheiros: azeite de oliva espanhol, soja, pão, sardinha e vinho tinto. Depois desta deliciosa refeição, o seu coração só tem a agradecer.

Salada de soja, alface, tomate e espinafre

Arrume em uma saladeira 4 folhas grandes de alface (40 g), 1 tomate médio partido em gomos (80 g), 1 xícara (chá) de soja cozida (150 g) e 1 xícara (chá) de espinafre cozido e picado (120 g). À parte, bata em uma tigela, 4 colheres (sopa) de azeite de oliva espanhol (40 g) com 1 xícara (chá) de hortelã picada (40 g) e sal a gosto.

Rende 2 porções

Cada porção tem 365 calorias; 17,5 g de carboidratos; 19 g de proteínas ; 28 g de gorduras totais (4 g de saturada, 16,5 de monoinsaturada e 6 g de poliinsaturada); 0 de colesterol; 10 g de fibras; 11mg de ferro; 310 mg de cálcio e 430 mcg de ácido fólico

Anúncios
Website: nutricaosadia.com

Dr. Vinícius Graton é Nutricionista atuante na Nutrição Clínica & Nutrição Esportiva. Em Uberlândia/MG atende na Clínica Renova - Rua Bernardo Guimarães 417 - Bairro Fundinho. Contato (34) 3255-1237 ou 3231-8655. Para Assessoria Online envie WhatsApp (34)98407-3617

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: