Dr. Vinícius Graton - Complexo UMC / Rua Rafael Marino Neto, 600 - Karaiba, Uberlândia/MG

Uberlândia/MG

Ligue (34)3256-6300

Atendimento das 08:00 às 21:00 - De segunda a sábado

Procedimentos:

1 Consulta Inicial com 2 Avalições por Bioimpenciometria + 3 retornos

Para a sua comodidade e segurança:

Trabalhamos com todos os cartões.

Título

Autem vel eum iriure dolor in hendrerit in vulputate velit esse molestie consequat, vel illum dolore eu feugiat nulla facilisis at vero eros et dolore feugait

Fibras Solúveis e Prebióticos

Fibras Solúveis e Prebióticos
As fibras da dieta estão incluídas na ampla categoria dos carboidratos. Elas podem ser classificadas como solúveis e insolúveis, podendo ser fermentáveis ou não-fermentáveis. As fibras solúveis são normalmente fermentadas rapidamente, enquanto as insolúveis são lentamente ou apenas parcialmente fermentadas (PUUPPONEN-PIMIÃ et a., 2002).

A extensão da fermentação das fibras solúveis depende de sua estrutura física e química. A fermentação é realizada por bactérias anaeróbicas do cólon, levando à produção de ácido lático, ácidos graxos de cadeia curta e gases. Conseqüentemente, há redução do pH do lúmen e estimulação da proliferação de células epiteliais do cólon (CARABIN & FLAMM, 1999).

A nova definição de fibra da dieta sugere a inclusão de oligossacarídeos e de outros carboidratos não-digeríveis. Deste modo, a inulina e os frutooligossacarideos (FOS), denominadas de frutanos ou prebióticos, são fibras solúveis e fermentáveis, as quais não são digeríveis pela a-amilase e por enzimas hidrolíticas, como a sacarase, a maltase e a isomaltase, na parte superior do trato gastrintestinal (CARABIN & FLAMM, 1999).

A inulina e os FOS são os principais prebióticos encontrados nos alimentos. A inulina é encontrada em mais de 36.000 plantas e é sua reserva da energia. Está presente em quantidades significativas nos vegetais tais como alcachofras, raízes da chicória, aspargos, alho-poró, cebolas, alho e trigo. Os FOS são produzidos a partir da inulina fermentada por bifidobacterias (microorganismos presentes na flora intestinal).

Estas fibras extraídas dos vegetais podem ser acrescidas em outros alimentos, com a finalidade de também melhorar a função intestinal. No entanto, as fibras têm ação diferente dos alimentos probióticos, já que são constituídas por diferentes estruturas, com propriedades diversas, as quais geralmente não são digeridas e nem absorvidas, mas são fermentadas por algumas das bactérias benéficas presentes na flora intestinal, propiciando sua proliferação. Os alimentos adicionados por essas estruturas específicas das fibras são chamados de prebióticos. O grande desenvolvimento nas técnicas de utilização das fibras alimentares tem descoberto muitas formas de uso. A inulina tem sido explorada como substituto de gordura em sorvetes, oferecendo os benefícios intestinais e na saúde, além de retirar o alto teor de gordura dos alimentos. Já os frutooligossacarídeos podem ser empregados em vários tipos de alimentos, por não influenciarem no sabor e agregam as fibras, auxiliando na flora intestinal.

Benefícios

Os prebióticos podem apresentar funções importantes no trato gastro intestinal como:

– estimular crescimento flora saudável
– favorecer a imunidade
– atuar na prevenção da diarréia patogênica e constipação
– diminuir metabólitos tóxicos e das enzimas patogênicas no cólon
– reduzir o colesterol sérico
– favorecer a absorção e produção de nutrientes (B1,B2,B3,B6,B9 e B12)
– melhorar a tolerância à lactose

Recomendações

O consumo de 5 a 20g/dia (durante 15 dias) pode produzir alterações benéficas na composição da flora intestinal.

De acordo com a ADA, 1999, a recomendação de FOS é em média 3 a 10g/dia, com o objetivo de melhorar a saúde gastrointestinal, reduzir a pressão arterial, apresentar efeitos benéficos no metabolismo lipídico e na redução colesterol sérico. Podem ser observados efeitos adversos em doses superiores a 30g/dia (CAUSEY et al, 2000).
A figura abaixo mostra a ação dos prebióticos e probióticos na microbiota intestinal:

Referências Bibliográficas:

BIELECKA, M.; BIEDRZYCKA, E.; MAJKOWSKA, A. Selection of probiotics and prebiotics for synbiotics and confirmation of their in vivo effectiveness. Food Res. Int., Amsterdam, v.35, n.2/3, p.125-131, 2002
CARABIN, I.G.; FLAMM, W.G. Evaluation of safety of inulin and oligofructose as dietary fiber. Regul. Toxicol. Pharmacol., New York, v.30, p.268-282, 1999.
PUUPPONEN-PIMIÄ, R.; AURA, A.M.; OKSMAN-CALDENTEY, K.M.; MYLLÄRINEN, P.; SAARELA, M.; MATTILA-SANHOLM, T.; POUTANEN, K. Development of functional ingredients for gut health. Trends Food Sci. Technol., Amsterdam, v.13, p.3-11, 2002.
ROBERFROID, M.B. Concepts in functional foods: the case of inulin and oligofructose. J. Nutr., Bethesda, v.129, suppl.7, p.1398S-1401S, 1999.
ZIEMER, C.J.; GIBSON, G.R. An overview of probiotics, prebiotics and synbiotics in the functional food concept: perspectives and future strategies. Int. Dairy J., Amsterdam, v.8, p.473-479, 1998.
http://www.nutrociencia.com.br
http://www.aleixomkt.com.br/biblioteca/NUTRICLIN/PARTE_3_FIBRAS.pdf
fonte: Equipe rgnutri

Anúncios
Website: nutricaosadia.com

Dr. Vinícius Graton é Nutricionista atuante na Nutrição Clínica & Nutrição Esportiva. Em Uberlândia/MG atende na Clínica Renova - Rua Bernardo Guimarães 417 - Bairro Fundinho. Contato (34) 3255-1237 ou 3231-8655. Para Assessoria Online envie WhatsApp (34)98407-3617

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: