Dr. Vinícius Graton - Complexo UMC / Rua Rafael Marino Neto, 600 - Karaiba, Uberlândia/MG

Uberlândia/MG

Ligue (34)3256-6300

Atendimento das 08:00 às 21:00 - De segunda a sábado

Procedimentos:

1 Consulta Inicial com 2 Avalições por Bioimpenciometria + 3 retornos

Para a sua comodidade e segurança:

Trabalhamos com todos os cartões.

Título

Autem vel eum iriure dolor in hendrerit in vulputate velit esse molestie consequat, vel illum dolore eu feugiat nulla facilisis at vero eros et dolore feugait

Dieta e Dor de Cabeça

A cefaléia, conhecida popularmente como dor de cabeça, é uma sensação dolorosa na cabeça, pescoço e face.

Existem vários tipos de cefaléias, dentre elas a mais comum é a enxaqueca, também conhecida como migrânea.

A enxaqueca é uma cefaléia grave, localizada em um lado da cabeça, sendo intermitente, pulsante e podendo durar de horas a dias (Krause, 1995). Esse tipo de dor faz com que o indivíduo sinta-se indisposto e sem vontade para realizar suas atividades normais, querendo apenas ficar deitado no escuro. Conseqüentemente, os resultados dos ataques são dias de trabalho perdidos e uma vida familiar perturbada. Os ataques de enxaqueca também podem ser acompanhados por anorexia, náuseas e vômitos em alguns casos.

A enxaqueca é um mal que afeta de 8 a 20% da população e ocorre principalmente em mulheres. Sua prevalência no sexo feminino é de 18 a 20%, sendo três vezes mais alta do que nos homens, que é de 6%. As crianças também sofrem de enxaqueca, tendo uma prevalência de 4 a 8%.

Sabe-se que muitos fatores podem estar relacionados com essa doença, tais como histórico familiar de enxaqueca, estresse e mudanças hormonais. Há também muitas pessoas que reclamam que seus ataques são causados pela ingestão de certos alimentos, mas na maioria dos casos é ocasionada devido a fatores comportamentais, não havendo uma porcentagem de dores de cabeça que estejam associadas à dieta. Privações de sono, pular refeições ou fazê-las com pressa, também são alguns fatores relacionados à causa da enxaqueca em pessoas suscetíveis a ela. Há, também, teorias defendendo que a enxaqueca pode ser conseqüência de reações alérgicas e há ainda indivíduos que relatam sofrerem as crises, quando expostos por muito tempo ao sol.

A Enxaqueca e a Dieta

Muitos estudos empenham-se em confirmar a relação entre enxaqueca e dieta, mas ainda não foram encontradas evidências científicas conclusivas. No entanto, alguns alimentos foram considerados agravantes das enxaquecas, dentre eles os alimentos gordurosos, os queijos envelhecidos, as bebidas alcoólicas (especialmente o vinho tinto), os alimentos em conserva e os marinados, os embutidos em geral, os alimentos que contêm aspartame ou glutamato monossódico e algumas frutas como abacate, fambroesa e banana e frutas cítricas. O chocolate também é apontado nas pesquisas como um dos alimentos capazes de desencadear dores de cabeça em algumas pessoas. As aminas, presentes em alguns alimentos que também têm sido relacionadas à enxaqueca, são a tiramina (presente nos queijos e vinhos), a feniletilamina (presente nos chocolates) e a histamina. Daí o motivo da presença de anti-histamínicos em medicamentos para dores de cabeça. Estudos sugerem que pessoas que sofrem de enxaqueca talvez não sejam capazes de metabolizar essas aminas de forma rápida o suficiente, desta forma, elas permanecem no organismo por mais tempo, causando as dores de cabeça devido a sua ação nos vasos sangüíneos.

Suspeita-se que as enxaquecas tenham também um componente hereditário. Algumas pessoas podem ter uma deficiência genética da enzima monoamina oxidase (MAO), que metaboliza essas aminas. Essa falha no organismo pode explicar o porquê de algumas pessoas serem mais afetadas do que outras. Substâncias também apontadas como vilãs da dor de cabeça são os radicais fenólicos flavonóides, originárias da casca de uva, que são encorpadas ao vinho tinto. Essas substâncias podem ocasionar crises intensas em algumas pessoas.

Infelizmente, evitando-se alimentos específicos, raramente cura-se a enxaqueca, já que ela quase sempre é resultado de uma série de fatores de risco associados. Além disso, há uma grande dificuldade em se fazer recomendações dietéticas gerais, pois cada indivíduo possui uma tolerância diferente, e a restrição de muitos alimentos pode ocasionar carência nutricional. As restrições alimentares nunca devem ser generalizadas, devendo-se analisar cada caso individualmente.

Outros tipos de cefaléias que podem estar relacionadas à alimentação

A dor de cabeça causada pela ingestão de alimentos ou líquidos muito gelados é outro tipo de cefaléia que grande parte das pessoas já sentiu ao menos uma vez. É uma dor de grande intensidade e curta duração, causada por uma súbita e intensa contração seguida de dilatação dos vasos sanguíneos do interior da cabeça quando a substância gelada toca o palato mole (céu da boca). Para evitar que esse desconforto ocorra, deve-se ingerir os alimentos ou bebidas geladas de forma lenta e em pequenas quantidades.

Há também o tipo de cefaléia que ocorre após ingestão excessiva de álcool. Pode-se evitá-la, impedindo-se a desidratação que o álcool provoca. Ao ingerir bebidas alcoólicas, deve-se ingerir dois copos de água para cada copo da bebida. Para aliviar esse tipo de dor, aconselha-se repouso, ingestão de água abundante e refeições compostas por alimentos pouco gordurosos.


Qualidade de vida para evitar as dores de cabeça

A dor de cabeça é um assunto complexo devido às centenas de causas que podem ocasioná-la, não havendo portanto, uma recomendação geral para pessoas que sofrem desse mal.

Há estudos controversos sobre o assunto e outros que já esclarecem muitas questões. Os indivíduos que sofrem desse mal devem estar atentos para identificar e correlacionar os moldes de atividades, sentimentos, situações e alimentos que podem estar ligados às ocorrências das crises de dores de cabeça. De forma geral, evitar o estresse, praticar atividades físicas regularmente e ter uma dieta balanceada, normalmente ajudam a amenizar a intensidade das dores. Para casos crônicos, aconselha-se procurar a orientação de um profissional capacitado.

Referências Bibliográficas:

Smith, T. A. (1980) Amines in food. Food Chemistry 6 169-200
Ciervo CA, Gallagher RM, Mueller L, Perrino D. The role of diet in treated migraine patients. Headache Quarterly, Current Treatment and Reseach 1996;7(4):319-323.
Krymchantowski, A.V. e Filho, P.P.M. Atualização no tratamento profilático das enxaquecas. Arq. Neuro-Psiquiatria.v. 57.n.2B. São Paulo, junho, 1999.
Mahan, L.K. e Arlin M.T. Krause – Alimentos, Nutrição e Dietoterapia. Pg 730. Ed. Roca. São Paulo, 1995.

www.cdof.com.br/med4.htm
www.dordecabeca.com.br
www.mentalhelp.com

Anúncios
Website: nutricaosadia.com

Dr. Vinícius Graton é Nutricionista atuante na Nutrição Clínica & Nutrição Esportiva. Em Uberlândia/MG atende na Clínica Renova - Rua Bernardo Guimarães 417 - Bairro Fundinho. Contato (34) 3255-1237 ou 3231-8655. Para Assessoria Online envie WhatsApp (34)98407-3617

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: