DESNUTRIÇÃO


Desnutrição ou, mais corretamente, as deficiências nutricionais, são doenças que decorrem da ingestão insuficiente de energia e de nutrientes ou ainda do mau aproveitamento biológico dos alimentos ingeridos, e podem ser perfeitamente diagnosticadas por meio de exames laboratoriais.

DETERMINANTES DA DESNUTRIÇÃO

Determinantes socioeconômicos

Determinantes reprodutivos

Determinantes ambientais

Determinantes saúde/nutrição

Determinantes biológicos

Determinantes de morbidade

Determinantes psicológicos

DESNUTRIÇÃO INFANTIL

Por que as crianças constituem o grupo indicador preferencial para o estudo da desnutrição?

Prevalência de desnutrição em
menores de 5 anos (POF 2002 / 2003)

Brasil: 4,6%

  • Sul, Sudeste e Centro-Oeste (áreas urbanas e rurais): 3 a 3,5%
  • Nordeste e áreas urbanas do Norte: 5 a 7%
  • Áreas rurais da Região Norte: 11%

  • Maiores prevalências nas famílias com menores rendas e nas regiões Norte e Nordeste
  • Considerável declínio no Nordeste rural e entre as crianças de famílias mais carentes

* Indicador: P/I

Principais causas da redução na prevalência de desnutrição no Brasil

  • Aumento na renda per capita e redução da proporção de indivíduos abaixo da linha de pobreza extrema
  • Aumento da escolaridade materna
  • Aumento no acesso a serviços de saúde
  • Melhoria no saneamento básico
  • Aumento no intervalo interpartal e redução do tamanho das famílias
  • Redução do baixo peso ao nascer
  • Redução do percentual de mães desnutridas
  • Aumento da frequência de amamentação

Por que essas diferenças entre Norte e Nordeste (especialmente rural) e o restante do país?

  • Ganhos econômicos menos expressivos
  • Progressão mais lenta da universalização da oferta de serviços públicos essenciais (saneamento, educação, assistência à saúde)

DESNUTRIÇÃO EM ADOLESCENTES

Índices utilizados

  • A/I: Para diagnosticar déficit de altura
  • IMC para idade (IMC Percentilar): Para diagnosticar déficit de IMC para idade (relação entre peso e altura)

Prevalências em adolescentes
(POF 2002 / 2003)

Déficit de altura para idade

  • Total: 9,8%
  • Meninos: 11,3%
  • Meninas: 8,3%

Déficit de IMC para idade

  • Total: 3,7%
  • Meninos: 2,8%
  • Meninas: 4,6%

* Maiores prevalências nas famílias com menores rendas

* Meninas das áreas urbanas do Sul e Sudeste

DESNUTRIÇÃO EM ADULTOS

Índices utilizados

IMC (Índice de Massa Corporal)

IMC

IMC 17,0 a 18,49 kg/m2: Desnutrição leve

IMC 16,0 a 16,99 kg/m2: Desnutrição moderada

IMC

Parâmetros da OMS para prevalência de déficit energético em adultos:

% de indivíduos com IMC

  • 3 a 5%: normal
  • 5 a 9%: leve
  • 10 a 19%: moderada
  • 20 a 39%: alta
  • ³ 40%: muito alta

Alguns números da desnutrição no mundo

  • Mais de 500 milhões de pessoas se apresentam cronicamente desnutridas no mundo
  • Costa Rica e Cuba: 5% a 6%
  • Haiti: 19%
  • Etiópia: 38%
  • Índia: 49%

Alguns números da desnutrição em adultos no Brasil

  • Total: 4,0%
  • Sexo masculino: 2,8%
  • Sexo feminino: 5,2%

* Prevalências variáveis de acordo com idade

* Maiores prevalências em famílias de menor renda

* Mulheres jovens das áreas urbanas do Sul e Sudeste

Por que a desnutrição diminui na população adulta brasileira?

  • Redução da proporção de famílias brasileiras muito pobres
  • Mudanças no consumo alimentar da população

(substituição de produtos de origem vegetal por produtos de origem animal e substituição de carboidratos por lipídios)

  • Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT), iniciado em 1977
  • Expansão na cobertura de serviços de saúde e saneamento
  • Tendência de evolução do gasto energético dos indivíduos (tendência decrescente)
Anúncios

Post Author: Website: nutricaosadia.com

Dr. Vinícius Graton é Nutricionista atuante na Nutrição Clínica & Nutrição Esportiva. Em Uberlândia/MG atende na Clínica Renova - Rua Bernardo Guimarães 417 - Bairro Fundinho. Contato (34) 3255-1237 ou 3231-8655. Para Assessoria Online envie WhatsApp (34)98407-3617

Deixe uma resposta