Desnutrição atinge 1/3 de crianças em países pobres

Até um terço das crianças com menos de cinco anos em países em desenvolvimento estão abaixo do peso por causa de má nutrição, segundo um relatório do Banco Mundial divulgado nesta quinta-feira.

Segundo o relatório, chamado Recolocando a Nutrição como Central ao Desenvolvimento, o investimento de países em desenvolvimento em nutrição pode trazer retornos econômicos, já que estudos indicam que o problema da desnutrição provoca uma redução de até 3 pontos porcentuais no PIB (Produto Interno Bruto) dos países em desenvolvimento.

“Considerando que as economias de muitos países em desenvolvimento estão crescendo a uma taxa de 2% a 3% anualmente, a melhoria nas condições de nutrição poderia potencialmente dobrar essas taxas”, disse Jean-Louis Sarbib, vice-presidente para Desenvolvimento Humano do Banco Mundial.

O relatório do Banco Mundial adverte que a desnutrição na infância pode levar a uma redução de até 10% nos ganhos em idade adulta.

Recursos limitados

O Banco Mundial sugere que os governos com recursos limitados deveriam concentrar seus esforços no atendimento no período entre a concepção e a idade de dois anos, quando os efeitos da desnutrição sobre a saúde, o desenvolvimento cerebral, a inteligência e a produtividade são muitas vezes irreversíveis.

“Os danos que ocorrem neste período são irreparáveis. Se perdemos esta janela de oportunidade, perdemos a oportunidade de atender a uma geração inteira de crianças”, disse Meera Shekar, consultora de nutrição para o Banco Mundial.

Segundo a organização, o problema de desnutrição atinge os países do sul da Ásia com ainda mais intensidade do que os países da África sub-saariana. Na Índia, até 50% das crianças teriam problemas de desnutrição.

Porém o Banco Mundial afirma que as taxas de desnutrição na Ásia vêm caindo, enquanto que na África o problema estaria aumentando.

Na América Latina, o relatório cita Guatemala, Haiti e Honduras como exemplos de países onde o problema da desnutrição é mais grave.

O relatório do Banco Mundial sugere que os países que pretendem combater o problema da desnutrição com mais eficiência se espelhem em experiências de sucesso como a adição de iodo ao sal para combater deficiências no consumo da substância e a distribuição de cápsulas de vitamina A, que ajudam a combater a mortalidade infantil.

Anúncios

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: