Cortisol – O que eu preciso saber?

O que é o cortisol?

O cortisol é um hormônio esteróide, um dos glicocorticóides , produzido no córtex das glândulas supra-renais e depois liberado no sangue, que o transporta por todo o corpo. Quase todas as células contêm receptores para o cortisol e, portanto, o cortisol pode ter várias ações diferentes, dependendo do tipo de célula em que está atuando. Esses efeitos incluem controlar os níveis de açúcar no sangue do corpo e, assim, regular o metabolismo, atuando como um anti-inflamatório, influenciando a formação da memória, controlando o equilíbrio de sal e água, influenciando a pressão sanguínea e ajudando o desenvolvimento do feto. 

O que acontece se eu tiver muito cortisol?

O problema do cortisol elevado por um período prolongado de tempo pode levar a uma condição chamada síndrome de Cushing . Isso pode ser causado por uma ampla gama de fatores, como um tumor que produz hormônio adrenocorticotrópico (e, portanto, aumenta a secreção de cortisol) ou o uso de certos tipos de drogas. Os sintomas incluem:

  • rápido ganho de peso principalmente na face, tórax e abdômen, contrastando com braços e pernas finos
  • um rosto vermelho e redondo
  • pressão alta
  • osteoporose
  • alterações na pele (hematomas e estrias roxas)
  • fraqueza muscular
  • alterações de humor, que aparecem como ansiedade, depressão ou irritabilidade
  • aumento da sede e frequência de micção.

Níveis altos de cortisol por um período prolongado também podem causar falta de desejo sexual e, nas mulheres, os períodos podem se tornar irregulares, menos frequentes ou parar completamente ( amenorréia ).

Além disso, existe uma associação de longa data entre a regulação aumentada ou prejudicada dos níveis de cortisol e várias condições psiquiátricas, como ansiedade e depressão. No entanto, o significado disso ainda não está claramente entendido.

Como o cortisol é controlado?

A secreção de cortisol é controlada principalmente por três regiões intercomunicantes do corpo; o hipotálamo no cérebro, a hipófise e a adrenal . Isso é chamado de eixo hipotálamo-hipófise-adrenal. Quando os níveis de cortisol no sangue são baixos, um grupo de células em uma região do cérebro chamada hipotálamo libera hormônio liberador de corticotrofina , que faz com que a glândula pituitária secrete outro hormônio, o hormônio adrenocorticotrópico., na corrente sanguínea. Altos níveis de hormônio adrenocorticotrópico são detectados nas glândulas supra-renais e estimulam a secreção de cortisol, causando aumento dos níveis sanguíneos de cortisol. À medida que os níveis de cortisol aumentam, eles começam a bloquear a liberação do hormônio liberador de corticotrofina do hipotálamo e do hormônio adrenocorticotrópico da hipófise. Como resultado, os níveis do hormônio adrenocorticotrópico começam a cair, o que leva a uma queda nos níveis de cortisol. Isso é chamado de loop de feedback negativo.

O que acontece se eu tiver muito pouco cortisol?

Muito pouco cortisol pode ser devido a um problema na hipófise ou na glândula adrenal ( doença de Addison ). O aparecimento dos sintomas é geralmente muito gradual. Os sintomas podem incluir fadiga, tontura (especialmente em pé), perda de peso, fraqueza muscular, alterações de humor e escurecimento das regiões da pele. Sem tratamento, esta é uma condição potencialmente fatal.

A avaliação urgente por um médico especialista em hormônios (endocrinologista) é necessária quando há suspeita de um diagnóstico da síndrome de Cushing ou da doença de Addison.

Níveis elevados e prolongados de cortisol podem te levar a apresentar vários problemas que muito irão comprometer a sua qualidade de vida, como por exemplo: Ansiedade e depressão; Dores de cabeça; Doença cardíaca; Problemas de memória e concentração; Problemas com digestão; Problemas para dormir; Ganho de peso;

Quando foi a última vez que você dosou o seu cortisol?

ALIMENTOS PARA AUXILIAR NO CONTROLE DO CORTISOL

Uma pessoa que tenta diminuir seus níveis de cortisol deve seguir uma alimentação saudável e equilibrada e prestar atenção à ingestão de açúcar. Controlar a ingestão dos carboidratos é um passo fundamental neste processo.

Alguns alimentos que podem ajudar a manter os níveis de cortisol estáveis ​​incluem:

  • chocolate pelo menos 70% cacau;
  • frutas como as bananas e peras;
  • chá preto ou verde;
  • probióticos em alimentos como iogurte;

Beber bastante água para evitar a desidratação também ajuda a manter os níveis de cortisol mais controlados.

Exercite-se mas não em excesso.

Ser fisicamente ativo é benéfico para a saúde e pode melhorar o humor de uma pessoa.

Exercícios intensos podem, no entanto, desencadear um aumento nos níveis de cortisol, pois essa é a maneira do corpo lidar com o estresse adicional que o exercício exerce sobre ele.

A quantidade apropriada de exercício depende de vários fatores, incluindo a aptidão física de uma pessoa, e esses fatores contribuem para a quantidade de cortisol que o corpo libera durante o exercício.

Anúncios

Website: nutricaosadia.com

Dr. Vinícius Graton é Nutricionista atuante na Nutrição Clínica & Nutrição Esportiva. Em Uberlândia/MG atende na Clínica Renova - Rua Bernardo Guimarães 417 - Bairro Fundinho. Contato (34) 3255-1237 ou 3231-8655. Para Assessoria Online envie WhatsApp (34)98407-3617

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: