Anúncios

Consumidores de chimarrão têm mais chance de ter câncer, diz estudo

Substâncias presentes no chimarrão podem contribuir para o surgimento de câncer de esôfago entre consumidores da bebida, aponta estudo de pesquisadores da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul).

O trabalho, coordenado pelo professor Renato Fagundes, foi publicado em maio na revista especializada “Cancer Epidemiology, Biomarkers & Prevention”, da American Association for Cancer Research (Associação Americana para Pesquisa do Câncer).

O chimarrão, feito à base de erva-mate, é tradicionalmente consumido no Sul do país, Uruguai e Argentina.

O câncer de esôfago, segundo o estudo, é a sexta causa de morte pela doença no mundo e a quarta em países em desenvolvimento. O Rio Grande do Sul, com Uruguai e Argentina, está entre as regiões do globo com maior incidência de câncer de esôfago –índice de 9% das mortes totais por câncer.

Na primeira etapa da pesquisa, em 2005, 200 pacientes saudáveis foram divididos em fumantes e não-fumantes. Resíduos de HAP (hidrocarbonetos aromáticos policíclicos) –compostos com potencial cancerígeno– foram encontrados na urina de fumantes, e também na de não-fumantes que consumiam chimarrão.

“Entre os que fumavam e tomavam chimarrão, o índice era ainda maior”, diz Fagundes.

Na segunda parte do estudo, oito marcas de erva-mate foram estudadas, com identificação de alto nível de HAP na bebida após a infusão (quando a água é colocada na cuia).

A cada 12 doses de chimarrão servidas com água fria ou quente, estudiosos detectaram o mesmo índice de HAP existente em um maço de cigarro.

“O risco de câncer era atribuído à temperatura elevada do chimarrão. Agora, observamos na bebida hidrocarbonetos potencialmente cancerígenos, comuns em cigarros”, diz.

Fagundes ressalva que, apesar dos indícios, ainda não é possível afirmar que o consumo de chimarrão causa câncer.

“Os compostos do cigarro vão direito ao pulmão. No chimarrão, a bebida é ingerida e não sabemos quais as rotas percorridas por esses compostos. Precisamos de outros estudos. Esses compostos podem ser resultado da poluição ambiental ou da própria manufatura da erva-mate, secada ao fogo com madeira em combustão.”

Polêmica

Presidente do Instituto Escola do Chimarrão, sediado em Venâncio Aires (RS) –considerada a capital nacional do chimarrão–, Pedro Schwengber, 56, diz que o produto não faz mal à saúde. “Nunca vi alguém ter problemas por beber chimarrão, mas já vi gente morrer por causa do cigarro.”

Schwengber afirma que estudos mostram que o chimarrão contém substâncias que auxiliam no combate ao colesterol, no tratamento contra mal de Parkinson e até contra cáries.

“Quando todos souberem desses benefícios, o mundo vai tomar chimarrão”, afirma.

Anúncios

1 thought on “Consumidores de chimarrão têm mais chance de ter câncer, diz estudo

  1. "Consumidores de chimarrão têm mais chance de ter câncer, diz estudo"Assim como quem entra no mar tem mais chances de ser atacado por um tubarão.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: