Como diagnosticar a anemia ferropriva?

A anemia por deficiência de ferro, ou anemia ferropriva, é caracterizada quando os níveis sangüíneos de hemoglobina estão abaixo do normal, diminuindo, assim, o transporte de oxigênio para os tecidos e órgãos humanos. Pode ser causada pela perda excessiva de sangue (hemorragia), destruição da hemoglobina, ou deficiência da produção de hemoglobina. Como o ferro é um nutriente essencial para a formação da hemoglobina, sua ingestão e absorção insuficientes podem levar à anemia.

A deficiência de ferro acontece da seguinte forma: inicialmente há diminuição da ferritina sangüínea, que é uma proteína de reserva de ferro. Posteriormente, ocorre uma diminuição dos níveis de ferro sangüíneo e, como o ferro participa da formação da hemoglobina, se sua concentração estiver reduzida, haverá diminuição também da concentração de hemoglobina sangüínea. A partir desse momento, pode surgir a anemia ferropriva.

Alguns sinais e sintomas podem identificar a anemia, como: fadiga generalizada, falta de apetite, palidez de pele e mucosas (principalmente na parte interna do olho e gengivas), menor disposição para o trabalho, dificuldade de aprendizagem nas crianças, apatia (crianças muito “paradas”). Entretanto, somente o exame laboratorial poderá confirmar o diagnóstico da anemia ferropriva. Assim, é considerada anemia quando os valores de hemoglobina sangüínea estiverem abaixo de 11 g/dl para gestantes e crianças de 6 meses a 6 anos, 12 g/dl para mulheres e crianças de 6 a 14 anos e 13 g/dl para homens. Para crianças entre 6 e 59 meses é considerada anemia quando os valores estiverem menor que 11 g/dl, e gravemente anêmica quando estiver abaixo de 9 g/dl.

Os índices hematimétricos também podem ajudar no diagnóstico da anemia e incluem o volume corpuscular médio (VCM), hemoglobina corposcular média (HCM), concentração de hemoglobina corposcular média (CHCM). Todos eles estão alterados na anemia. O VCM, por exemplo, indica o tamanho das hemácias, que na anemia está diminuído (microcítica, abaixo de 83 mm3/eritrócitos). O HCM corresponde ao peso da hemoglobina na hemácia, que na anemia está abaixo de 26 pg/eritrócitos. O CHCM é a concentração de hemoglobina dentro da hemácia, e na anemia essa concentração está reduzida (hipocrômica, abaixo de 32 g de hemoglobina/dl de eritrócitos).

A ferritina é outro parâmetro que avalia a quantidade de reserva do ferro corporal. Sua concentração abaixo de 10 ou 12 ng/ml é considerada indicativo de depleção das reservas de ferro. Outros exames laboratoriais ainda podem ser analisados para contribuir com o diagnóstico, como contagem de reticulócitos, para avaliar a produção de hemácias; ferro sérico, dentre outros. Vários testes podem ser feitos devido à falta especificidade que muitos deles possuem.

Bibliografia (s)

Departamento de Atenção Básica (DAB). Atenção básica -Alimentação e nutrição. Anemia com Deficiência de Ferro. Disponível em:
http://dtr2004.saude.gov.br/nutricao/def_ferro.php. Acessado em 22/03/2006.

Ribeiro LC, Devincenzi UM, Sigulem DM. Compacta Nutrição. Anemia Ferropriva na Primeira Infância: Controle e Prevenção com Doses Intermitentes de Ferro Quelato Glicinato. Disponível em: http://www.pnut.epm.br/download_files%5CCompacta%20Nutricao%20Anemia.pdf. Acessado em 22/03/2006.

Ministério da Saúde. Coordenação Geral da Política de Alimentação e Nutrição. Programa Nacional de Suplementação de Ferro.

Hadler MCCM, Juliano Y, Sigulem DM. Anemia in infancy: etiology and prevalence. J. Pediatr (Rio J). 2002;78(4):321-326. Disponível em:
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572002000400012. Acessado em 24/03/2006.

Cardoso SP, Martins C. Interações droga-nutriente. Nutroclínica. 1998.

Anúncios

Post Author: Website: nutricaosadia.com

Dr. Vinícius Graton é Nutricionista atuante na Nutrição Clínica & Nutrição Esportiva. Em Uberlândia/MG atende na Clínica Renova - Rua Bernardo Guimarães 417 - Bairro Fundinho. Contato (34) 3255-1237 ou 3231-8655. Para Assessoria Online envie WhatsApp (34)98407-3617

Deixe uma resposta