Qual seu plano de saúde?

Se Unimed, concedemos um valor diferenciado em sua consulta! Segue abaixo a tabela de valores e seus respectivos procedimentos:

ProcedimentoValor
– Avaliação Nutricional completa com coleta
de peso e medidas (circunferência de todo o corpo)
– Retorno com 1 semana para entrega de seus materiais
R$80,00
– Exame de Bioimpedanciometria Ambulatorial
(Exame realizado a parte caso seja uma opção por parte
do paciente em complementar com sua avaliação física).
***Este exame tem por objetivo nos informar:
– Volume de massa magra
– Volume de massa gorda
– Água corpórea total em litros e em %
– Taxa metabólica basal
R$60,00

Azeite: Uma excelente fonte de gorduras monoinsaturadas saudáveis

O azeite é o óleo natural extraído das azeitonas, o fruto da oliveira.

Cerca de 14% do óleo é de gordura saturada , enquanto 11% são poliinsaturados, como os ácidos graxos ômega-6 e ômega-3 ( 1 ). Mas o ácido graxo predominante no azeite é uma gordura monoinsaturada chamada ácido oleico, que representa 73% do teor total de óleo. Estudos sugerem que o ácido oleico reduz a inflamação e pode até ter efeitos benéficos em genes ligados ao câncer (2 Fonte Confiável3 Fonte Confiável4 fonte confiável5 Fonte Confiável). As gorduras monoinsaturadas também são bastante resistentes ao calor elevado, tornando o azeite extra-virgem uma escolha saudável para cozinhar, mas não fritar ou assar.

Quando gorduras e óleos são expostos a altas temperaturas, eles podem ser danificados.

Isto é particularmente verdadeiro para óleos que são ricos em gorduras poliinsaturadas, incluindo a maioria dos óleos vegetais como soja e canola . Quando superaquecidos, podem formar vários compostos prejudiciais, incluindo peróxidos lipídicos e aldeídos, que podem contribuir para o câncer (1 fonte confiável2 Fonte Confiável).

Quando cozidos, estes óleos liberam alguns compostos carcinogênicos que podem contribuir para o câncer de pulmão quando inalados. Simplesmente de pé em uma cozinha como esses óleos são usados ​​pode causar danos ( 3 ,4 fonte confiável). Se você quiser minimizar sua exposição a compostos potencialmente perigosos e carcinogênicos, cozinhe apenas com gorduras estáveis ​​em fogo alto.

Existem duas propriedades dos óleos de cozinha que mais importam:

  • Ponto de fumo: A temperatura na qual as gorduras começam a se decompor e a se transformar em fumaça.
  • Estabilidade oxidativa: quão resistentes são as gorduras a reagir com o oxigênio.

Ponto de fumo moderadamente alto

A ponta de fumaça de um óleo é a temperatura na qual ele começa a se degradar e produz fumaça visível. Quando isso acontece, as moléculas de gordura se separam e se transformam em vários compostos prejudiciais. Mas os outros oligoelementos do óleo, como vitaminas e antioxidantes, também podem começar a queimar e liberar fumaça – às vezes a temperaturas mais baixas do que o próprio óleo.

Normalmente, uma parte dos ácidos graxos em um óleo são ácidos graxos livres. Quanto mais ácidos graxos livres existirem em um óleo, menor será seu ponto de fumaça (16 Fonte Confiável).

Como os óleos refinados são mais baixos em nutrientes-traço e ácidos graxos livres, eles geralmente têm um ponto de fumaça mais alto. Além do mais, o aquecimento faz com que mais ácidos graxos livres se formem – então o ponto de fumaça desce quanto mais tempo você cozinha. Embora seja difícil determinar o ponto exato de fumaça de um óleo, um intervalo pode fornecer uma boa estimativa. Algumas fontes colocam o ponto de fumaça do azeite em algo em torno de 190-207 ° C ( 17 ). Isso faz com que seja uma escolha segura para a maioria dos métodos de cozimento, incluindo a maioria das frigideiras.

O Espinafre e seus compostos vegetais

O espinafre contém vários compostos vegetais importantes, incluindo (4 fonte confiável5 Fonte Confiável6 Fonte Confiável7 Fonte Confiável8 ,9 Fonte Confiável10 Fonte Confiável):

  • Luteína Este composto está ligado à melhoria da saúde ocular .
  • Kaempferol. Este antioxidante pode diminuir o risco de câncer e doenças crônicas.
  • Nitratos Espinafre contém quantidades elevadas de nitratos, que podem promover a saúde do coração.
  • Quercetina Este antioxidante pode evitar infecções e inflamações . O espinafre é uma das mais ricas fontes alimentares de quercetina.
  • Zeaxantina Como a luteína, a zeaxantina também pode melhorar a saúde dos olhos.


Benefícios para a saúde de espinafre

O espinafre é extremamente saudável e ligado a inúmeros benefícios para a saúde.

Demonstrou-se que melhora o estresse oxidativo, a saúde ocular e a pressão sanguínea.

Estresse oxidativo

Os radicais livres são subprodutos do metabolismo. Eles podem causar estresse oxidativo, que desencadeia o envelhecimento acelerado e aumenta o risco de câncer e diabetes (11 Fonte Confiável).

No entanto, o espinafre contém antioxidantes , que combatem o estresse oxidativo e ajudam a reduzir os danos causados.

Um estudo em oito pessoas saudáveis ​​descobriu que o espinafre ajudou a prevenir danos oxidativos. Embora este estudo tenha sido bastante pequeno, seus resultados são sustentados por outras pesquisas em animais e humanos (12 Fonte Confiável13 Fonte Confiável14 Fonte Confiável).

Saúde dos olhos

O espinafre é rico em zeaxantina e luteína , que são os carotenóides responsáveis ​​pela cor em alguns vegetais.

Os olhos humanos também contêm grandes quantidades desses pigmentos, que protegem seus olhos dos danos causados ​​pela luz solar (15 Fonte Confiável).

Além disso, vários estudos indicam que a zeaxantina e a luteína atuam na prevenção da degeneração macular e da catarata, que são as principais causas de cegueira (16 Fonte Confiável17 Fonte Confiável18 Fonte Confiável19 Fonte Confiável).

Estes compostos podem até ser capazes de reverter os danos existentes (20 Fonte Confiável21 Fonte Confiável).

Prevenção do câncer

Espinafre contém dois componentes, MGDG e SQDG, que podem retardar o crescimento do câncer.

Em um estudo, esses compostos ajudaram a retardar o crescimento do tumor no colo do útero de uma pessoa. Eles também diminuíram o tamanho do tumor ( 22 ,23 Fonte Confiável).

Vários estudos em humanos relacionam o consumo de espinafre a um risco reduzido de câncer de próstata. Comer este verde frondoso também pode ajudar a prevenir o câncer de mama (24 Fonte Confiável25 Fonte Confiável).

Da mesma forma, um estudo em animais observa que o espinafre pode suprimir a formação de câncer (26 Fonte Confiável).

Além disso, o espinafre contém grandes quantidades de antioxidantes, que também podem combater o câncer (27 Fonte Confiável).

Pressão sanguínea

O espinafre contém quantidades elevadas de nitratos , que demonstraram ajudar a moderar os níveis de pressão arterial e diminuir o risco de doença cardíaca ( 28 , 29 ).

Um estudo em 27 pessoas descobriu que comer espinafre reduzia efetivamente os níveis de pressão arterial. Vários outros estudos observaram efeitos semelhantes, indicando que o espinafre estimula a saúde do coração (7 Fonte Confiável30 fonte confiável31 Fonte Confiável).

Como escolher qual iogurte comprar no supermercado?

Pessoal, ler os rótulos é fundamental para se fazer uma boa compra. Assim que começar a leitura, procure inicialmente por aquele que tiver a menor quantidade de carboidrato, ou seja, açúcar.

Nós também devemos evitar aqueles que possuem na lista dos ingredientes, os dizeres como açúcar, xarope, maltodextrina, corantes artificiais, amido modificado. Evite então as marcas que acrescentam estes ingredientes.

Geralmente os iogurtes de sabor de frutas contêm eles – mas esta não é uma regra e a dica é sempre olhar a composição e procurar então aquele com a menor quantidade de carboidratos.

O iogurte natural é sempre uma boa dica porém ele também merece atenção na leitura do rótulo. O iogurte natural é formado de leite, fermento lácteo e em alguns são acrescentados leite em pó. Uma dica simples e prática que dou se desejar incrementar seu iogurte natural, é bater no liquidificador ou no processador com frutas ou acrescentar geleia 100% fruta, frutas secas, castanhas, sementes.

Evite óleos vegetais ricos em Ômega-6

Embora os óleos vegetais existam há milhares de anos, a produção em massa de óleos refinados só começou no início do século XX. Estes incluem óleo de soja, óleo de canola , óleo de milho, óleo de semente de algodão e alguns outros.

O problema é que os estudos demonstram que a maioria das pessoas está consumindo muita gordura do tipo ômega-6 ( 19 ). Em excesso, o ômega-6 pode levar ao aumento do LDL (mau) colesterol para se tornar mais facilmente oxidado e contribuir para a disfunção endotelial – dois fatores responsáveis pelo surgindo das doenças cardíacas ( 20 , 21 , 22 , 23 , 24 , 25 , 26 , 27 , 28 ).

Embora tenhamos estas informações, sabemos no entanto que mais pesquisas são necessárias antes de se chegar a conclusões sólidas – a maioria dos pesquisadores já concordam no entanto que o consumo de ômega-6 aumentou significativamente no século passado.

Se você está preocupado com ômega-6, limite então a ingestão de óleos vegetais, como óleo de soja , milho e canola. Em vez disso, escolha azeite e outros óleos com baixo teor de ômega-6.

Sua compulsão está relacionada ao descontrole dos níveis de açúcar em seu sangue!

Carboidratos refinados – que são açúcar e alimentos ricos em amido processados, incluindo aqueles grãos, que tiveram a maior parte de sua fibra removida – são outro ingrediente bastante perigoso para a saúde humana.

O carboidrato refinado mais comum, adivinhem qual é? É a farinha de trigo! Como os grãos refinados são feitos removendo o farelo e o endosperma do grão – as partes fibrosas e nutritivas. Pessoal, o amido refinado fornece muitas calorias e quase nenhum nutriente essencial.

Sem a fibra do grão integral, o amido pode causar grandes picos rápidos no açúcar no sangue, levando você a ter enormes ânsias e comer demais, passar alguns períodos do dia beliscando, comendo descontroladamente, algumas horas depois, quando o açúcar do sangue despenca ( 12 , 13 ). Se você não sabe por que tem tanta dificuldade no controle alimentar, essa explicação pode estar enormemente relacionada com os níveis de açúcar no seu sangue.

Estudos ligam carboidratos refinados a várias condições metabólicas, incluindo obesidade, diabetes tipo 2 e doenças cardíacas ( 14 , 15 , 16 , 17 , 18 ).

Embora algumas dietas – como  a dieta paleo e a low-carb – eliminem consideravelmente os grãos, todas as dietas bem-sucedidas, pelo menos, enfatizam a limitação de grãos refinados e substituí-los por suas contrapartes inteiras e claro saudáveis.

Os perigos do açúcar adicionado

O açúcar adicionado nos alimentos é um dos hábitos mais perigosos da alimentação atual. Nós sabemos que algumas pessoas embora possam até terem necessidades aumentadas de açúcar sem problemas, a maioria das pessoas está sim ingerindo em grande quantidade, de maneira exagerada. ( 1 ).

Quando você consome muita frutose – que é uma das principais formas de açúcar – ela sobrecarrega o fígado, que é então forçado a transformá-lo em gordura ( 2 , 3 ). Parte da gordura é removida do fígado como lipoproteína de densidade muito baixa (VLDL) – aumentando assim os triglicerídeos do sangue – porém como sabemos, parte dela acaba ainda permanecendo no fígado ( 4 , 5 ).

Sabemos que a ingestão excessiva de frutose (ADICIONADA) nos alimentos, seja um fator importante na doença hepática gordurosa não alcoólica ( 6 , 7 ). Ela também está associada a muitas outras condições, incluindo obesidade, diabetes tipo 2 e doença cardíaca ( 8 , 9 , 10 , 11 ).

Além do mais meus amigos, o açúcar fornece calorias vazias, ou seja, fornece muitas calorias, mas praticamente nenhum nutrientes essencial para nós. Os estudos demonstram o quanto a ingestão excessiva de açúcar é prejudicial para a saúde humana, então porque tantos ainda não se despertaram para essa preocupação? O desenvolvimento de melhoras do hábito alimentar necessariamente envolve sim, a diminuição significativa . do açúcar adicionado.

Você que mora em Uberlândia e que gostaria de ser avaliado por mim, clique aqui para agendar sua consulta via WhatsApp.

Quibe assado de lentilhas

Esta versão sem carne do quibe assado vai te surpreender pelo sabor, além de ser um dos pratos vegetarianos mais ricos em proteínas e fibras.

Ingredientes:

  • 1 ½ xícara de chá de trigo para quibe;
  • 1 xícara de chá de proteína de soja texturizada em tamanho pequeno;
  • 1 xícara de chá de lentilha crua;
  • ½ xícara de chá de aveia em flocos;
  • 1 cebola média picada;
  • 3 dentes de alho picados;
  • 1 colher de sopa de hortelã picada;
  • 1 xícara de chá de salsinha picada;
  • 1 colher de sopa de orégano;
  • Cebolinha a gosto;
  • Sal e pimenta-do-reino a gosto.

Modo de preparo:

A lentilha deve ser colocada de molho pelo menos 8 horas antes de preparar esta receita. Isso porque os grãos precisam estar de molho para liberar algumas substâncias prejudiciais à nossa saúde.

Coloque o trigo em um recipiente com 3 xícaras de chá de água por pelo menos uma hora para que ele se hidrate bem.

Em outro recipiente, hidrate a proteína de soja com 3 xícaras de chá de água por pelo menos 10 minutos. Você pode adicionar molho shoyu e raspas de gengibre nesta água. Depois, é só lavar bem e tirar todo o excesso da água. Isso vai tirar o gosto ruim da proteína de soja mais.

Hidrate também a aveia em ½ xícara de chá de água e deixe descansar.

Escorra a lentilha, lave e coloque em uma panela com dois dedos de água acima do nível da lentilha. Deixe ferver e só retire quando ela estiver macia, cerca de vinte minutos depois de ferver.

Tire o excesso de água da lentilha e do trigo.

Refogue a cebola e o alho em azeite e acrescente a lentilha. Refogue mais um pouco antes de adicionar a proteína de soja. Tempere com sal, hortelã, orégano e salsinha. Acrescente a mistura de aveia com água, o trigo e acerte o tempero.

Em uma forma untada, coloque esta mistura e deve para assar em forno médio por pelo menos trinta minutos ou até dourar.

Você pode rechear o quibe com queijo cremoso ou coalhada.

Abobrinha recheada com quinoa

Vamos começar nossa lista de pratos vegetarianos por uma receita muito saborosa e fácil de preparar. Esta abobrinha recheada com quinoa vai te oferecer cerca de 20 gramas de proteína, quase metade da proteína diária que uma pessoa precisa consumir. Isso quer dizer que a carne não vai fazer falta na refeição que você incluir este prato.

Ingredientes:

  • 1 xícara de chá de quinoa;
  • 4 abobrinhas médias;
  • 200 gramas de feijão branco cozido;
  • 1 xícara de chá de tomates cortados em cubinhos;
  • ½ xícara de chá de amêndoas cortadas;
  • 2 dentes de chá de alho cortados;
  • ¾ xícara de chá de queijo parmesão;
  • 4 colheres de sopa de azeite de oliva.

Modo de preparo:

Pré-aqueça o forno a 200 graus.

Em uma panela, adicione a quinoa e uma xícara de chá de água e coloque para ferver. Tampe e diminua o fogo até que a quinoa esteja macia e transparente, o que deve levar cerca de dez a quinze minutos.

Enquanto a quinoa fica pronta, corte as abobrinhas pela metade no sentido do comprimento e retire as sementes e reserve. Coloque as abobrinhas em uma forma e reserve.

Misture a quinoa com o feijão branco cozido, o azeite, os tomates, as sementes de abobrinha, as amêndoas, o alho e o queijo parmesão.

Recheie as abobrinhas com esta mistura e cubra a forma com um papel alumínio. Deixe assar por pelo menos vinte minutos ou até que a abobrinha fique macia. Tire o papel alumínio e deixe gratinar por pelo menos cinco minutos.

Por que eu não emagreço?

Hoje quero falar sobre um assunto delicado, que são os escapes dos finais de semana. Afinal, pode ou não pode escapar? Mas caso não possa escapar, como ser feliz vivendo de dieta e sem vida social? Não é isso que todos sempre perguntam?

Seria maravilhoso se tudo girasse em cima de pequenos escapes, mas na prática o que vemos são muitos desligando o botãozinho “saúde” e ligando o “foda-se” e se esquecendo que a alimentação saudável e bons hábitos da fazem parte das suas escolhas sempre! e não apenas durante a semana! mas claro durante também os finais de semana! Muitos simplesmente abandonam os bons hábitos e ainda largam totalmente a atividade física.. O consumo de alimentos pobres em nutrientes aumentam e aqueles ricos em energia, ou seja, os alimentícios calóricos.. passam então a predominar nos finais de semana..

Pessoal, escapar faz parte, nós somos humanos, temos sentimentos.. hábitos culturais.. Mas sair do controle simplesmente por ser final de semana e cometer o pecado da gula e comer até não aguentar mais, isso definitivamente não procede.

Você precisa ter muito cuidado com as escolhas dos finais de semana. Se contarmos de sexta a domingo, podemos considerar que se trata de quase 50% da semana, pois são 3 dias. Saindo da parte estética, temos a SAÚDE, que é altamente afetada com 3 dias de má alimentação e muita das vezes ainda com o consumo de álcool. Um escape ou outro não vai afetar a sua saúde, até aquele salgadinho do aniversário você vai poder provar. O que não pode acontecer é comer 3, 4 bandejas de salgadinho, mais os docinhos, mais o bolo ou aquele churrasco, não bastasse a carne, a farinha, o arroz, ainda tem a maionese, o pão com alho, o salsichão e ainda a sobremesa ou aquele café em família reforçado a tarde. Repense então sobre seus hábitos e faça uma análise do estilo de vida que você leva. Exercite o equilíbrio… aos poucos isso vira algo natural, automático. Tenho certeza que sua saúde vai agradecer e você atingirá resultados que nem você imagina.

Gergelim pode baixar o colesterol e triglicerídeos

Estudos sugerem que o consumo regular de sementes de gergelim pode sim ajudar a diminuir o colesterol elevado e os triglicerídeos – estes que são fatores de risco para doenças cardíacas ( 5 , 6). As sementes de gergelim consistem em 15% de gordura saturada, 41% de gordura poliinsaturada e 39% de gordura monoinsaturada ( 3 ). Nós temos então, pesquisas que demonstram que comer mais gordura poliinsaturada e monoinsaturada em relação à gordura saturada pode ajudar a reduzir o colesterol e reduzir o risco de doenças cardíacas ( 7 , 8 , 9 ). Olha só que interessante. Além disso, as sementes de gergelim pessoal, contêm dois tipos de compostos vegetais – que são as lignanas e os fitoesteróis – que também podem ter vários efeitos redutores do colesterol ( 10 , 11 , 12 ). Em outro estudo, pessoas que estavam com o colesterol em níveis elevados, quando consumiram 5 colheres de sopa de sementes de gergelim por dia durante 2 meses, elas experimentaram uma redução de 10% no colesterol LDL que é conhecido por ser o colesterol “ruim” e uma redução de 8% nos triglicerídeos se em comparação ao grupo placebo ( 13 ). .

O chip da beleza

O pacote de benefícios é pra lá de tentador: acabar com a menstruação e os incômodos que vêm junto com ela, como cólicas, inchaço e TPM, e ainda aumentar a libido, tonificar os músculos e apagar as celulites. A propaganda ganha força com as celebridades já chipadas, como se diz por aí: entre elas, a atriz Letícia Birkheuer e as modelos Babi Rossi e Mirella Santos. Não é à toa que o chip da beleza, seu nome de batismo na mídia, está fazendo fama. Para início de papo, porém, esqueça o termo “chip”.

O dispositivo é um implante hormonal desenvolvido originalmente para evitar a gravidez e os desconfortos do ciclo menstrual. Mas todo burburinho começou quando as adeptas de algumas formulações notaram um bem-vindo efeito colateral: melhoras na silhueta.

Essa foi a experiência da psicóloga Juliana Orrico, de 35 anos, da capital paulista. Seu médico optou pelo implante porque ela sofria muito com a TPM. “No início, fiquei um pouco inchada e apareceram algumas espinhas, problema para o qual já tenho tendência”, conta. “Mas depois tive um bom aumento da massa magra e ganhos na definição muscular”, completa Juliana, que pratica exercícios físicos com regularidade e cuida bastante da alimentação.

Mas a forma como o chip vem sendo difundido faz a comunidade médica torcer o nariz. “A minha opinião é a mesma da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (Sbem): hormônios não devem ser prescritos para fins estéticos”, afirma o endocrinologista Alexandre Hohl, vice-presidente da entidade. O que preocupa os especialistas é justamente a busca e a eventual prescrição do produto visando contornos bacanas – muitas vezes sem pesar os riscos.

“O apelido que o implante recebeu, uma maneira de deixá-lo mais atraente, leva as pessoas a uma conclusão errada”, opina o ginecologista César Eduardo Fernandes, presidente da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo). A depender da fórmula, o chip pode carregar um esteroide chamado gestrinona ou progestagênio (molécula que imita a progesterona), bem como doses de testosterona. Em uma palavra, hormônios.

De olho na nova moda, o Conselho Federal de Medicina declara, em nota, que tratamentos do tipo só devem ser feitos por razões médicas e quando o procedimento dispõe de comprovação científica. É aí que a polêmica se aprofunda.

Além de ser propagandeado de uma maneira equivocada (uma vez que não se trata de uma intervenção meramente estética), faltam evidências robustas a favor do chip. “Não o indico de forma alguma, entre outras coisas porque não tenho conhecimento de nenhuma publicação científica que traga pesquisas sobre a sua ação”, diz a endocrinologista Maria Fernanda Barca, de São Paulo, membro da Sbem e da Sociedade Europeia de Endocrinologia. Fernandes concorda: “Não existe estudo sério que tenha verificado se esses implantes são efetivos e seguros”.

Não bastasse, os hormônios que servem de matéria-prima ao chip podem desencadear uma lista de efeitos adversos: aumento da oleosidade da pele e surgimento de acne, queda de cabelo, aparecimento de pelos em locais indesejáveis, engrossamento da voz, crescimento do clitóris, irritabilidade e até infertilidade.

“Isso sem falar que pessoas com histórico familiar de câncer de mama ou endométrio, problemas no fígado, nos rins ou no coração, diabetes ou trombosenão podem se submeter a esse tratamento”, alerta Maria Fernanda. Claro que isso depende dos hormônios e da dosagem selecionada, mas é ou não é para ser pesado junto ao médico?

E tem mais um complicômetro. Com exceção do implante de progestagênio, mais conhecido no mercado como anticoncepcional, os chips da beleza não são vendidos prontos no balcão da drogaria. Normalmente é o profissional de saúde que, no consultório, desenha uma fórmula individualizada, mais tarde preparada e inserida no implante por uma farmácia de manipulação.

“Se a paciente quiser comprar o produto em outro estabelecimento ou trocar de médico, provavelmente não vai saber exatamente o que está usando”, avisa Hohl. Sem uma padronização, dizem os especialistas, fica difícil não só estudar o implante mas também garantir que ele trará os resultados esperados não colocando a saúde em risco.

Outra visão sobre o implante

Apesar das sérias críticas ao dispositivo, alguns profissionais defendem que o problema não está no produto, mas em seu mau uso. O que faz a diferença, portanto, seria uma indicação médica criteriosa. O endocrinologista Filippo Pedrinola, membro da Sbem e da Sociedade Americana de Endocrinologia, ressalta que os implantes não devem ser receitados para fins estéticos e só dá para pensar na prescrição após uma avaliação clínica e a realização de exames. “Mas eles podem ser úteis no alívio de sintomas da TPM, em alguns casos de endometriose ou àquelas mulheres que buscam diminuir ou interromper o ciclo menstrual”, exemplifica.

A ginecologista Cristina Carneiro, que também atua em São Paulo, vê algumas vantagens nessa opção, que, não se esqueça, nunca deixou de ser um método contraceptivo. “Destaco os quesitos praticidade, pois ele normalmente só precisa ser trocado depois de seis meses a três anos, dependendo dos hormônios utilizados; controle, já que a dosagem das substâncias é liberada de forma gradual e constante; e segurança, porque não há risco de esquecer de tomar comprimidos”, avalia. Mas e os efeitos colaterais? O que fazer se eles surgirem? “O implante pode ser retirado a qualquer momento”, tranquiliza Pedrinola.

Se, diante dos prós e contras, bater a curiosidade de experimentá-lo, não caia no conto de fadas e corpos esbeltos das redes sociais. Procure um médico de sua confiança e converse com ele. Na maioria dos casos, é provável que o especialista vá recomendar saídas mais convencionais, além de dieta e exercício. Só fique com um pé atrás se ele lhe indicar o implante exclusivamente por motivos estéticos. Lembre-se: no fundo, o chip não passa de um tratamento hormonal.

Quem é quem

TUBINHO

O que é
O implante é um cilindro bem fininho de silicone com 3 a 5 cm de comprimento e 3 mm de espessura. Ele é recheado com hormônios liberados lentamente. Custa entre 3 e 4 mil reais.

Onde fica
É colocado na parte interna do braço, próximo à axila, ou acima das nádegas.

Como é instalado
Em um procedimento com anestesia local que dura dez minutos.

Quanto dura
Depende dos hormônios inseridos no implante, mas chega a ficar ativo por três anos, podendo ser retirado a qualquer momento.

ALPISTE

O que é
Esse implante tem o tamanho da semente de alpiste e é feito de cristais de hormônio que se dissolvem gradualmente até desaparecer. Tem um custo parecido com a versão tubinho. Não é tão comum por aqui.

Onde fica
Ao contrário do implante maior, que fica sob a pele e pode ser sentido com os dedos, esse é inserido na camada de gordura.

Como é instalado
Em um procedimento rápido que não requer anestesia.

Quanto dura
Tem uma validade mais curta, agindo ao longo de seis meses.

As promessas do chip

Os benefícios segundo os defensores dos implantes:

Menos TPM
A explicação está ligada à paralisação do fluxo menstrual. Usuárias relatam melhoras físicas e no humor.

Menos cólicas
Como o dispositivo interrompe a menstruação, a mulher não tende a sofrer com a dor que aparece nos primeiros dias do fluxo.

Menos celulite
O efeito sobre a pele vem do uso da testosterona, o hormônio masculino, bem como da redução na gordura corporal.

Mais disposição
Por contornar os altos e baixos dos hormônios no ciclo menstrual, o implante parece elevar a energia e a libido.

Mais músculos
Implantes formulados com testosterona ajudam a aumentar e a definir a massa muscular.

Os efeitos indesejáveis

O uso do chip da beleza envolve riscos e reações adversas. Daí a necessidade de ponderar bem com um médico. Veja:

Masculinização
A mexida com os hormônios, associada à utilização da testosterona, pode levar a queda de cabelo, aparecimento de pelos, engrossamento da voz…

Impacto na glicemia
Algumas usuárias chegam a ter problemas com a ação da insulina, ficando expostas à sobrecarga de açúcar no sangue e ao ganho de peso.

Perigo nos vasos
Os hormônios podem repercutir na circulação sanguínea, o que eleva a probabilidade de coágulos se formarem, o ponto de partida de uma trombose.

Ameaça a órgãos
Se houver propensão, coração, rins e fígado podem ficar sobrecarregados com o aporte de hormônios. Exames ajudam a flagrar e prevenir os chabus.

Fonte: saude.abril

4 dicas de como combater à insônia

A insônia é um problema sofrido por muitas pessoas no mundo todo. Ela afeta o humor, a capacidade de raciocínio e a produtividade. Além disso, impede que o corpo realize funções essenciais que só acontecem durante a noite e, portanto, constitui um fator de risco para doenças. Mas você sabe quais são as causas e como combater à insônia?

Apesar de existirem diversas causas, as pessoas mais afetadas por esse problema são aquelas que levam vidas agitadas e estressantes, que não têm uma boa alimentação, pessoas sedentárias e que sofre de transtornos como a ansiedade. Se identificou e deseja acabar com esse problema? Continue lendo!

Saiba agora como combater à insônia

1. Fique longe das luzes

Você sabia que a luz dos aparelhos eletrônicos atrapalha na produção de melatonina, um hormônio que é responsável pela sensação de sono? Para o corpo, o principal indicativo de que está na hora de dormir é a escuridão da noite. Quando mantemos muitas luzes acesas e ficamos em aparelhos eletrônicos, impedimos que nosso cérebro perceba que é noite.

Portanto, cerca de 2 horas antes de dormir, é essencial sair do celular ou notebook e desligar a televisão. Além disso, evite deixar luzes fortes acesas. Se possível, utilize apenas um abajur para iluminar o quarto.

2. Faça atividades relaxantes durante a noite

Durante o período da noite, evite práticas que proporcionem agitação ou estresse. O ideal é fazer das atividades relaxantes uma rotina. Uma vez que você ensinar seu corpo que esse momento é para relaxar e dormir, será muito mais fácil se manter nesse ritmo. Portanto, leia um livro físico, ouça uma música bem calma, tome um banho relaxante, arrume a cama, escove os dentes… O importante é procurar atividades que preparem seu corpo e sinalizem que o dia está acabando.

3. Não tente dormir até que sinta sono

Para muitas pessoas, o ato de tentar dormir e não conseguir é extremamente estressante. É, sim, essencial que você se aqueça, relaxe o corpo e a mente, ou seja, que prepare o corpo para esse momento.

No entanto, não é indicado apagar as luzes, se cobrir e deitar para dormir se você não se sentir totalmente pronto para isso, visto que não conseguir pegar no sono pode deixar você irritado por precisar dormir, mas não conseguir. Por isso, é muito mais recomendado que você continue em suas atividades, relaxando por um pouco mais de tempo — mesmo que durma um pouco menos —, do que ficar irritado e agitado nesse momento.

4. Não tome café durante a tarde

Se você tem o costume de tomar café durante o dia todo, saiba que esse hábito pode estar prejudicando sua boa noite de sono. O café tem um forte efeito estimulante e, apesar de não afetar o sono de todas as pessoas, pode estar afetando o seu! Por isso, deixe o café para começar o dia e evite consumi-lo em aproximadamente 7 a 8 horas antes do seu horário de descanso, pois esse é o tempo que ele demora para sair completamente do seu corpo.

Agora que você sabe como combater à insônia, o que está esperando para colocar nossas dicas na prática? Só não se esqueça: é preciso mudar os hábitos para ter mais qualidade de vida. Caso não consiga dormir mesmo assim, o ideal é consultar um clínico geral para que ele lhe encaminhe para outros médicos e exames a fim de investigar e tratar a causa desse problema.

Fonte: boaconsulta.com