Castanha do Pará

Você sabia que ela é também conhecida como Castanha do Brasil?

A castanha-do-pará é um tipo de castanha-da-índia cultivada na América do Sul. Uma onça (28 gramas) de castanha do Brasil contém ( 3 ):

  • Calorias: 185
  • Proteína: 4 gramas
  • Gordura: 19 gramas
  • Carboidratos totais: 3 gramas
  • Fibra: 2 gramas
  • Carboidratos líquidos: 1 grama

Rico em selênio

O selênio é um elemento traço que é vital para o bom funcionamento do seu corpo. É essencial para a sua tireóide e influencia o sistema imunológico e o crescimento celular (5 Fonte Confiável).

De fato, níveis mais altos de selênio têm sido associados ao aumento da função imunológica e melhores resultados para o câncer, infecções, infertilidade, gravidez, doenças cardíacas e transtornos de humor (6 Fonte Confiável).

Embora a deficiência de selênio seja rara, muitas pessoas em todo o mundo têm uma ingestão insuficiente de selênio para um ótimo funcionamento. 

A castanha do Brasil é uma maneira altamente eficaz de manter ou aumentar sua ingestão de selênio. De fato, um estudo em 60 pessoas descobriu que comer duas castanhas do Pará por dia era tão eficaz quanto tomar um suplemento de selênio no aumento dos níveis de selênio (8 Fonte Confiável).

Suporta a função da tireóide

Sua tireoide é uma pequena glândula em forma de borboleta que está em sua garganta. Ele segrega vários hormônios que são essenciais para o crescimento, metabolismo e regulação da temperatura corporal.

O tecido da tireóide tem a maior concentração de selênio, como é necessário para a produção do hormônio tireoidiano T3, bem como proteínas que protegem a tireóide de danos (9 Fonte Confiável10 Fonte Confiável).

A baixa ingestão de selênio pode levar a danos celulares, redução da atividade da tireoide e distúrbios autoimunes, como a tireoidite de Hashimoto e a doença de Graves. Também pode aumentar o risco de câncer de tireoide (5 Fonte Confiável9 Fonte Confiável).

Um grande estudo na China mostrou que as pessoas com baixos níveis de selênio tinham uma prevalência significativamente maior de doenças da tireóide, como hipotireoidismo, tireoidite e aumento da tireóide, em comparação com aqueles com níveis normais (11 Fonte Confiável).

Isso destaca a importância de obter uma ingestão adequada de selênio. Apenas uma castanha do Brasil por dia deve fornecer selênio suficiente para manter a função tireoidiana adequada (1 fonte confiável).

Pode ajudar aqueles com distúrbios da tireóide

Além de garantir a função tireoidiana adequada, o selênio pode melhorar os sintomas em pessoas com distúrbios da tireoide.

A tireoidite de Hashimoto é um distúrbio autoimune no qual o tecido da tireoide é gradualmente destruído, levando ao hipotireoidismo e a uma série de sintomas como fadiga, ganho de peso e sensação de frio.

Várias revisões descobriram que a suplementação com selênio pode melhorar a função imune e o humor em pessoas com tireoidite de Hashimoto (12 Fonte Confiável13 ,14 Fonte Confiável).

No entanto, duas outras revisões concluíram que não há evidências suficientes para determinar o papel do selênio no tratamento da doença. Portanto, mais pesquisas são necessárias (15 Fonte Confiável16 Fonte Confiável).

Enquanto isso, a doença de Graves é um distúrbio da tireoide no qual o excesso de hormônio tireoidiano é produzido, levando a sintomas como perda de peso, fraqueza, problemas de sono e olhos esbugalhados.

Estudos têm mostrado que a suplementação com selênio pode melhorar a função da tireóide e retardar a progressão de alguns sintomas em pessoas com essa doença. Entretanto, mais pesquisas são necessárias (17 Fonte Confiável).

Nenhum estudo investigou o uso da castanha-do-brasil como fonte de selênio, especificamente, em pessoas com tireoidite ou doença de Graves. No entanto, incluí-los em sua dieta pode ser uma boa maneira de garantir que seu status de selênio seja adequado.

Pode reduzir a inflamação

As castanhas-do-brasil são ricas em antioxidantes , substâncias que ajudam a manter as células saudáveis. Eles fazem isso combatendo os danos causados ​​por moléculas reativas chamadas radicais livres.

A castanha do Brasil contém vários antioxidantes, incluindo selênio, vitamina E e fenóis, como ácido gálico e ácido elágico ( 3 ).

O selênio aumenta os níveis de uma enzima conhecida como glutationa peroxidase (GPx), que ajuda a reduzir a inflamação e proteger seu corpo do estresse oxidativo – um desequilíbrio entre antioxidantes e radicais livres que podem levar a danos celulares (18 Fonte Confiável19 Fonte Confiável20 Fonte Confiável).

Os efeitos antiinflamatórios da castanha-do-brasil podem ser obtidos com doses únicas e grandes e pequenas doses durante um período mais longo.

Um estudo em 10 pessoas observou que uma dose única de 20 ou 50 gramas (4 ou 10 nozes, respectivamente) reduziu significativamente vários marcadores inflamatórios, incluindo a interleucina-6 (IL-6) e o fator de necrose tumoral alfa (TNF-alfa). ) (21 Fonte Confiável).

Um outro estudo de três meses deu às pessoas em tratamento para insuficiência renal um castanha-do-brasil por dia. Verificou-se que os seus níveis de selénio e GPx aumentaram, enquanto os seus níveis de marcadores inflamatórios e colesterol diminuíram significativamente (22 Fonte Confiável).

No entanto, estudos de acompanhamento observaram que, uma vez que as pessoas pararam de comer castanha-do-pará, essas medidas retornaram aos seus níveis originais. Isso demonstra que mudanças dietéticas de longo prazo são necessárias para colher os benefícios da castanha-do-brasil (23 Fonte Confiável24 Fonte Confiável).

Bom para o seu coração

As castanhas-do-brasil contêm ácidos graxos saudáveis ​​para o coração, como as gorduras polinsaturadas , e são ricas em antioxidantes, minerais e fibras, o que pode ajudar a diminuir o risco de doença cardíaca ( 25 ).

Um estudo em 10 adultos saudáveis ​​investigou os efeitos da ingestão de castanha do Brasil nos níveis de colesterol. Deu-lhes 5, 20 ou 50 gramas de castanha do Brasil ou um placebo.

Após 9 horas, o grupo que recebeu uma porção de 20 ou 50 gramas apresentou níveis mais baixos de colesterol LDL (ruim) e níveis mais altos de colesterol HDL (bom), em comparação com os grupos que receberam doses menores (26 Fonte Confiável).

Outro estudo analisou os efeitos da ingestão de castanha-do-brasil em pessoas obesas com deficiência de selênio que estavam em tratamento para doença renal.

Descobriu-se que comer castanha do Brasil contendo 290 mcg de selênio diariamente por 8 semanas aumentou significativamente os níveis de colesterol HDL. Melhorar os níveis de colesterol HDL pode diminuir o risco de doença cardíaca (19 Fonte Confiável).

Além disso, um estudo de 16 semanas em adolescentes obesos observou que ingerir de 15 a 25 gramas de castanha-do-brasil por dia melhorou a função dos vasos sanguíneos e reduziu os níveis de colesterol LDL e triglicérides (27 Fonte Confiável).

Os efeitos da castanha-do-brasil na saúde do coração são promissores. No entanto, mais pesquisas são necessárias para determinar a dose ideal e quais populações podem colher os maiores benefícios.

Pode ser bom para o seu cérebro

As castanhas do Brasil contêm ácido elágico e selênio, ambos podem beneficiar o cérebro.

O ácido elágico é um tipo de polifenol na castanha do Brasil. Tem propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias que podem ter efeitos protetores e antidepressivos em seu cérebro (28 Fonte Confiável29 Fonte Confiável30 fonte confiável).

O selênio também pode desempenhar um papel na saúde do cérebro, agindo como um antioxidante (31 Fonte Confiável).

Em um estudo, idosos com deficiência mental ingeriram uma castanha do Brasil por dia durante seis meses. Além de apresentar aumento nos níveis de selênio, eles mostraram melhor fluência verbal e função mental (31 Fonte Confiável).

Baixos níveis de selênio estão associados a doenças neurodegenerativas, como a doença de Alzheimer e a de Parkinson, de modo que é importante garantir a ingestão adequada (32 Fonte Confiável33 Fonte Confiável).

Além disso, algumas pesquisas sugerem que a suplementação com selênio pode ajudar a mediar um mau humor, que é significativamente associado à ingestão inadequada de selênio. No entanto, os resultados são conflitantes, e mais pesquisas são necessárias (34 Fonte Confiável35 Fonte Confiável).

Riscos para a saúde de comer castanha do Brasil

A castanha do Brasil oferece alguns benefícios impressionantes para a saúde, mas comer muitos pode ser prejudicial.

De fato, uma ingestão de 5.000 mcg de selênio, que é a quantidade em aproximadamente 50 castanhas do tamanho médio, pode levar à toxicidade. Esta condição perigosa é conhecida como selenose e pode causar problemas respiratórios, ataque cardíaco e insuficiência renal (36 Fonte Confiável).

Além disso, muito selênio, particularmente de suplementos, tem sido associado a um risco aumentado de diabetes e câncer de próstata (37 Fonte Confiável38 Fonte Confiável39 Fonte Confiável).

No entanto, comunidades na Amazônia com dietas tradicionais que são naturalmente ricas em selênio não mostraram quaisquer efeitos negativos ou sinais de toxicidade por selênio (40 Fonte Confiável).

No entanto, é importante limitar sua ingestão diária de castanha do Brasil.

O nível superior de ingestão de selênio para adultos é de 400 mcg por dia. Por esse motivo, é importante não comer muitas nozes do Brasil e verificar os rótulos nutricionais quanto ao conteúdo de selênio.

Limitar seu consumo a uma a três castanhas por dia é uma maneira inteligente de evitar consumir muito selênio ( 25 ).

Além disso, aqueles com alergia a nozes podem ser alérgicos a castanha do Brasil e precisam evitá-los.

Anúncios

Post Author: Website: nutricaosadia.com

Dr. Vinícius Graton é Nutricionista atuante na Nutrição Clínica & Nutrição Esportiva. Em Uberlândia/MG atende na Clínica Renova - Rua Bernardo Guimarães 417 - Bairro Fundinho. Contato (34) 3255-1237 ou 3231-8655. Para Assessoria Online envie WhatsApp (34)98407-3617

Deixe uma resposta