Dr. Vinícius Graton - Complexo UMC / Rua Rafael Marino Neto, 600 - Karaiba, Uberlândia/MG

Uberlândia/MG

Ligue (34)3256-6300

Atendimento das 08:00 às 21:00 - De segunda a sábado

Procedimentos:

1 Consulta Inicial com 2 Avalições por Bioimpenciometria + 3 retornos

Para a sua comodidade e segurança:

Trabalhamos com todos os cartões.

Título

Autem vel eum iriure dolor in hendrerit in vulputate velit esse molestie consequat, vel illum dolore eu feugiat nulla facilisis at vero eros et dolore feugait

A IMPORTÂNCIA DA OFERTA DIÁRIA DE CÁLCIO

Dr. Vinícius Graton - Nutricionista CRN9.9877 - Nutrição Clínica e Nutrição Esportiva - Contato (34) 3255-1237 ou 3231-8655

Dr. Vinícius Graton – Nutricionista CRN9.9877 – Nutrição Clínica e Nutrição Esportiva – Contato (34) 3255-1237 ou 3231-8655

1) Quais são as recomendações de cálcio pelo Ministério da Saúde?
Estima-se que o auge do acúmulo do cálcio no organismo se dá aos 35 anos. Apesar disso, devemos continuar ingerindo o mineral com ainda mais afinco, já que a partir dessa idade passamos a perder 1% de massa óssea por ano. De acordo com o Ministério da Saúde, a ingestão diária recomendada é de 1.000 mg para um adulto, o que corresponde a cerca de três copos de leite.

Durante os períodos de crescimento (da infância até a adolescência), a formação óssea excede a reabsorção, enquanto na idade adulta os processos são relativamente iguais. Em idosos, particularmente nas mulheres na pós-menopausa, a reabsorção óssea excede a formação, resultando em perda óssea e aumentando o risco de osteoporose.

2) Qual o papel da vitamina D na absorção do cálcio?
A vitamina D também participa ativamente do processo de absorção do cálcio pelo corpo. Simplificadamente, ela promove a absorção do mineral pelo intestino. Assim, com a deficiência de vitamina D ocorre uma menor absorção, levando a menor deposição nos ossos.

3) Quais são as fontes alimentares de cálcio?
O leite e seus derivados são a maior fonte de cálcio para o corpo, mas o mineral também pode ser obtido de outras maneiras. As principais se dão por meio de alimentos vegetais verde-escuro, como a couve; frutas secas, como a uva-passa; leguminosas, como soja e feijões; além de castanhas, nozes e sementes de girassol. É importante destacar que, assim como a deficiência do mineral no organismo é prejudicial, seu excesso também faz mal á saúde, podendo acarretar problemas nos rins, como o cálculo renal, e nas articulações, o que afeta os movimentos básicos do corpo.

Para aqueles que não consomem leite, seja por intolerância ou por dieta restrita, é possível substituí-lo por opções vegetais. Os leites vegetais (bebidas feitas a partir de grãos e sementes) podem ser encontrados em várias versões. Entre elas, a principal e mais conhecida é a de soja. Porém, há opções como o de quinoa, arroz, amendoim, girassol, alpiste, gergelim, inhame, amêndoas e macadâmia.

4) Que cuidados devem ser tomados durante a gravidez e menopausa com relação a ingestão de cálcio?
Mulheres grávidas absorvem melhor o cálcio dos alimentos, pois ao longo da gestação, o bebê vai precisando cada vez mais do nutriente, principalmente a partir da segunda metade da gestação, quando ele passa a crescer mais rápido. Pensando nisso, a gestante deve garantir a ingestão recomendada de 1.200 mg/dia. Em alguns casos, é necessário também o uso de suplementos vitamínicos, que devem ser tomados durante a gestação e a amamentação a partir de recomendação médica.

Depois do nascimento, o cálcio continua a ser fundamental para o bebê e a melhor maneira de suplementá-lo é através do aleitamento. Sua importância é grande, pois além de fornecer as defesas necessárias nos primeiros meses de vida, é responsável pelo fortalecimento e renovação de nossos ossos, garantindo sustentação e reservas fundamentais para nosso desenvolvimento. Esse é um dos motivos que tornam crucial o aleitamento materno, que garante a formação de um reservatório de cálcio para a vida adulta, prevenindo a reabsorção óssea na terceira idade.

Mulheres no período da menopausa e na pós-menopausa devem fazer o exame de densitometria óssea. A avaliação deve ser feita anualmente e é considerada a densidade óssea total e a taxa de perda óssea anual. Homens entre 50 e 69 anos, com fatores de risco clínicos para fratura, e adultos que já apresentam baixa massa óssea ou perda óssea também devem buscar o exame.

calcio Necessidade-diaria-de-calcio-Solunni-619x1024

Anúncios
Website: nutricaosadia.com

Dr. Vinícius Graton é Nutricionista atuante na Nutrição Clínica & Nutrição Esportiva. Em Uberlândia/MG atende na Clínica Renova - Rua Bernardo Guimarães 417 - Bairro Fundinho. Contato (34) 3255-1237 ou 3231-8655. Para Assessoria Online envie WhatsApp (34)98407-3617

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: